sábado, 4 de julho de 2015

ALUNO DE PLACAS É PREMIADO COM VIAGEM PARA LONDRES

Ele foi o melhor aluno, em Língua Portuguesa, pela avaliação do SisPAE.
Jovem ganhou um mês de intercâmbio em Londres, na Inglaterra.

Jacintho George Ficagna, 17, aluno da Escola Estadual Tancredo Neves, do município de Placas, no sudoeste do estado. (Foto: Divulgação/Seduc)
Jacintho George Ficagna, 17 anos, do município de Placas, no sudoeste do estado. (Foto: Divulgação/Seduc)
Jacintho Ficagna é natural de Altamira, mas morou um tempo na comunidade União Esperança, a 25 quilômetros de Placas, onde ainda residem a mãe e o padrasto, agricultores que migraram do sul do Brasil para o Baixo Amazonas.
Rita de Cássia também se sente honrada por ter estimulado o aluno a obter êxito na colocação. Segundo ela, premiações como essas devem servir de incentivo para outros professores, assim como para toda a comunidade escolar.
Jacintho George Ficagna, 17, aluno da Escola Estadual Tancredo Neves, do município de Placas, no sudoeste do estado, ganhou um mês de intercâmbio em Londres, na Inglaterra, com todas as despesas pagas. A premiação ocorreu durante a cerimônia do Sistema de Reconhecimento do Pacto, realizada na noite da última quarta-feira, (1º), no Hangar, em Belém.
Ficagna foi o melhor aluno do 3º ano em Língua Portuguesa na avaliação de 2014 do Sistema Paraense de Avaliação Educacional (SisPAE). Em reconhecimento à boa pontuação, o Grupo de Parceiros Estratégicos do Pacto concedeu ao jovem um mês de intercâmbio em Londres, na Inglaterra, com todas as despesas pagas.
O jovem atribuiu a premiação ao esforço que a professora de Língua Portuguesa, Rita de Cássia Oliveira Martins, teve em fazê-lo gostar da disciplina. “Disse a ela que odiava Língua Portuguesa. De fato, não era meu talento natural, pois eu gostava de Matemática. Mas ela insistiu e, olha só, hoje estou aqui”, disse.
A presença da professora ajudou a confortar o jovem e também por estar pela primeira vez em Belém para receber um reconhecimento que não esperava. “Eu tomei o que ele falou pra mim como um desafio: você vai terminar o terceiro ano do Ensino Médio dizendo que gosta de Língua Portuguesa. A partir disso, começamos a trabalhar com a leitura e muita redação, e o resultado foi esse”, contou a professora Rita de Cássia.
História
Ao ingressar no Ensino Médio, o garoto optou por mudar-se para a cidade de Placas para estudar na Escola Estadual Tancredo Neves. Lá, reside a irmã, Francielli Ficagna, enfermeira, que o acolheu até que ele desse mais um passo na vida profissional e ingressasse como aluno bolsista do Prouni, no curso de Sistemas da Informação da Faculdade Ulbra, em Santarém, oeste do Pará, onde vive atualmente com os tios.
Segundo ele, a premiação representa um reconhecimento também aos profissionais da área da educação em Placas e pode estimular outros jovens a conseguirem bons êxitos nos estudos.
“Acho muito importante que alguém de uma cidade que muita gente nem sabe onde fica tenha conseguido um destaque como esse. Espero que isso estimule muitos alunos que chegam ao terceiro ano e não encontram estímulo para prosseguir nos estudos”, disse o jovem, que agora pensa em concluir a faculdade e trabalhar, mas antes aproveitará a oportunidade de estudar em Londres, com a bolsa de Inglês que ganhou.
Reconhecimento
“Geralmente o professor é aquele que está ali no batente, trabalhando, e muitas vezes não é reconhecido. Um reconhecimento desses é muito importante para nos empenharmos mais e mostrar que esses resultados não acontecem apenas na capital, mas também em municípios pequenos, como Placas”.
Também foram certificados com os melhores resultados em Língua Portuguesa, o estudante do 5º ano do Ensino Fundamental, Fábio Orvácio da Silva Coimbra, e o professor José Luiz Gonçalves de Melo, da Escola Municipal Batista, de Juruti; e a aluna do 8º ano do Ensino Fundamental, Elen Juliane da Silva, e o professor Jorge Vinente de Almeida, da Escola Municipal Adélia Figueira, de Oriximiná, no oeste do Pará.
As certificações do Sistema de Reconhecimento do Pacto são mais uma estratégia do Pacto pela Educação do Pará que visam incentivar melhores resultados das escolas públicas nas avaliações feitas pela Secretaria de Educação, para medir o aprendizado e identificar fatores socioeconômicos e culturais inerentes à realidade do ensino no Pará.
A meta principal do Pacto é melhorar em 30% as notas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), em todos os níveis da educação, até 2017.
Fonte:http://g1.globo.com/pa

sexta-feira, 3 de julho de 2015

"Chão Legal" beneficia moradores da Brasília


Ontem (02), o programa "Chão Legal" da prefeitura de Altamira, no sudoeste do Pará, beneficiou mais 210 famílias com títulos definitivos dos terrenos do bairro Brasília.

O prefeito Domingos Juvenil (PMDB), participou da cerimônia de entrega dos títulos, que aconteceu na quadra da escola municipal Dom Clemente Geiger. O objetivo do programa é regularizar todos os terrenos que estão sem documentos na cidade. Até o momento foram entregues mais de dois mil títulos.

A prefeitura estima que cerca de cinco mil terrenos estão irregulares no município, por isso a importância do projeto.

Fonte: O Xingu

Ratinho terá de prestar esclarecimentos na CPI do HSBC

FAMOSIDADES© SBT FAMOSIDADES
O apresentador Ratinho terá que explicar as movimentações bancárias em suas contas no HSBC de Genebra, na Suíça, na CPI que investiga denúncias de operações irregulares no banco.
Na última terça-feira (30), a comissão conseguiu a quebra de sigilo fiscal e bancário de clientes investigados. 
Segundo a "Agência Senado", o artista do SBT será intimado para dar detalhes sobre a doação de mais de R$ 250 mil feitas ao seu filho, Ratinho Júnior.
O dinheiro teria sido usado na campanha eleitoral do político, que foi eleito deputado estadual pelo PSC no Paraná, em 2004.
Na época em que o assunto veio à tona, o Grupo Massa informou que todos os bens da família do apresentador foram devidamente declarados aos órgãos competentes.

HOMEM MORRE EM ACIDENTE NA TRANSAMAZÔNICA

Um homem, de Prenome Josiel e conhecido popularmente por TIMBER, foi atropelado e morto na Rodovia Transamazônica BR-320.
O Acidente aconteceu na noite desta quinta-feira (02) no Km 77 da Rodovia Transamazônica quando Josiel teria sofrido um acidente de moto e em seguida teria sido atropelado e morto por um carro, tipo Strada, que vinha logo atrás e teria passado por cima da vítima.
De acordo com as últimas informações o motorista do veículo ficou transtornado com o ocorrido e se suicidou na madrugada com um tiro de espingarda.
Josiel tinha aproximadamente 47 anos, morava no km 78 e deixa dois filhos, inclusive uma menina de 04 anos. O corpo foi liberado do necrotério hoje pela manhã e receberá as últimas homenagens de familiares e amigos em sua residência.


Cena muito forte!!! ePara ver as fotos click em mais informações

Polícia Civil realiza evento para debater intervenção policial e auto de resistência em Marabá

Ciclo de Debates
A Corregedoria-Geral e a Academia da Polícia Civil realizaram, nesta quinta-feira, 2, o primeiro ciclo de debates voltado a policiais civis e militares, que atuam em Marabá, sudeste do Pará, para debater o tema "Intervenção Policial com Evento Morte versus Auto de Resistência”. O evento seguiu os mesmos moldes do ciclo de debates realizado em abril em Belém. Estiveram presentes dezenas de profissionais da área de Segurança Pública, no auditório da Seccional Urbana de Marabá. A abertura da programação foi presidida pela delegada Liane Martins, corregedora-geral da Polícia Civil.A Corregedoria-Geral e a Academia da Polícia Civil realizaram, nesta quinta-feira, 2, o primeiro ciclo de debates voltado a policiais civis e militares, que atuam em Marabá, sudeste do Pará, para debater o tema "Intervenção Policial com Evento Morte versus Auto de Resistência”. O evento seguiu os mesmos moldes do ciclo de debates realizado em abril em Belém. Estiveram presentes dezenas de profissionais da área de Segurança Pública, no auditório da Seccional Urbana de Marabá. A abertura da programação foi presidida pela delegada Liane Martins, corregedora-geral da Polícia Civil.
Profissionais de Segurança Pública reunidos em Marabá
Ela explicou que a iniciativa visa orientar e informar os profissionais sobre os procedimentos que deverão ser adotados, pelos agentes de Segurança Pública, após o registro de morte de suspeitos de crimes durante o atendimento a ocorrências policiais. O encontro teve por objetivo ainda repassar aos policiais informações sobre as portarias do Ministério Público e dos Direitos Humanos, a respeito do auto de resistência, quando um suspeito reage à abordagem policial.
A proposta do evento, além de informar, é discutir os temas e esclarecer dúvidas para adotar padrões de procedimentos que não prejudiquem os agentes públicos e que estejam dentro da legalidade. Dessa forma, destacou Martins, a meta sera desenvolver práticas que visem melhorar o desempenho dos policiais na busca da eficiência no serviço prestado à sociedade.
O ciclo de debates contou com palestra inicial da especialista em segurança pública e direitos humanos, Magdala de Souza, que apresentou as “Portarias, Resoluções e Decretos que disciplinam o Uso da Força”.
Logo em seguida, a delegada Márcia Raiol Lima, corregedora da Polícia Civil na Região Metropolitana de Belém, entrou no tema “Intervenção Policial com Evento Morte versus Auto de Resistência”. O Ministério Público apresentou discussão sobre o “Enfrentamento à Morte Decorrente de Intervenção Policial”.

Por: Walrimar
Fonte: PC/PA

Operários da TAMASA-CIMCOP e TORC recebem palestra sobre Geração de Resíduos na Construção Civil.

CAPA_palestra resíduos_TAMASA

O problema ambiental gerado pelos resíduos depositados de forma desregrada em lugares inapropriados podem causar impactos muitas vezes irreversíveis para o meio ambiente. Por conta disso, a Gestão Ambiental da BR-230/422/PA esteve nos canteiros de obras da TAMASA-CIMCOP e TORC nos dias 23 e 24 de junho, falando sobre: Boas Práticas para o Andamento das Obras.
De acordo com a equipe da Gestão Ambiental, ações têm sido realizadas para sensibilizar os colaboradores e para reverter essa situação, como mostra a Resolução 307/02 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), em vigor desde janeiro de 2003, que estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a Gestão dos Resíduos da Construção Civil, com o objetivo de disciplinar as ações necessárias de forma a minimizar os impactos ambientais.
Segundo a equipe, primeiramente deve ocorrer uma ação educativa para posteriormente gerenciar corretamente os resíduos oriundos da construção criando condições para que as empresas envolvidas na geração possam exercer suas responsabilidades sem produzir impactos socioambientais negativos, além de garantir qualidade de vida para os trabalhadores.

Indefinição na reabertura do banco do Brasil provoca superlotação nos correios de Uruará

A população de Uruará está revoltada com a Agência do Banco do Brasil. Todos os dias, segundo os clientes, como é o caso do senhor Francisco das Chagas da Silva, morador do bairro da Vila Brasil a informação de que a agência volte a funcionar e quando chegam à agência a história é a mesma. “Está fechada! A informação é de que vai abrir e não abre. Sentimos-nos prejudicados! Ficamos desorientados. As faturas vencidas. Queremos sacar ou depositar, fazer alguma movimentação financeira e, não conseguimos”, disse.
Com isso, a única solução é recorrer o atendimento via correios, onde a agência de Uruará tem ficado sobrecarregada, e não tem como atender a todos. Nesta quarta-feira, 01, dezenas de clientes e usuários se revoltaram enfrente a agência dos Correios, como foi o caso do senhor Raimundo Silva. “Como cidadãos de bem que pagamos nossos impostos não precisamos passar por uma situação desta. São mães com crianças no colo. Deficientes e idosos querendo receber seus benefícios e, a agência do Banco do Brasil não abre. Somos obrigados a vir aqui nos Correios e o atendimento aqui é limitado. Espero que o Poder Público tome uma atitude urgente”, desabafou.
A dona Rute do Bairro Pimentolândia disse que é não agüenta mais esta situação. “Sou uma senhora de 60 anos e tenho que vir aqui pra receber meu benefício. Ao chegar aqui no Centro, o Banco do Brasil fechado. Nem tem previsão de abrir. Na agência do Correios não tem como fazer o saque. Estou com minha família passando fome”, citou.
Dona Maria Lucia falou que falta o alimenta em casa, por não ter como receber e sacar seu dinheiro. “Assaltam o banco e quem paga o preço é a população. Lá em casa, não tem alimento”, relata.
A dona Margarida Rodrigues disse que não resolveu seu problema. “Aqui em Uruará estamos passando uma situação bem triste. Estou vindo aqui desde segunda-feira, e, hoje, segundo os funcionários, não vai ter como liberar o dinheiro. Vou ter que voltar pra casa de novo e vir amanhã (quinta-feira, 02). Até quando vamos ter que viver nesta situação? Cadê as autoridades deste Município? Quando o Banco do Brasil vai abrir?”, questiona.
O portador de Deficiência Joaquim Pinto Mota foi pra casa sem receber seu benefício como disse sua esposa Marilsa Lopes. “A funcionária da agência do Correios disse que não podemos tirar o recurso de seu benefício. O pessoal do Banco do Brasil fica dizendo todos os dias que vai abrir e nunca abre a agência. Vamos ter que ir a Medicilândia tirar o dinheiro. Uma pessoa já é deficiente e tem que passar por estes constrangimentos, pois nenhuma autoridade toma atitude aqui em Uruará”, disse
O Agricultor Célio Luiz Damasceno, que veio do km 175 disse que demorou mais conseguiu resolver parte de seu problema. “Demorei, mas resolvi parte do meu problema. O problema é que tenho que voltar aqui de novo a semana que vem”, falou.
Desde o dia 10 de junho de 2015, quando houve o assalto simultâneo as agências bancárias do banco do Brasil e banco da Amazônia, o atendimento na agência dos Correios da cidade de Uruará tem ficado sobrecarregado. A grande procura gera superlotação e a até mudou o horário de atendimento. Com a indefinição de quando a agência do banco do Brasil voltará a funcionar, o acúmulo de pessoas a espera por atendimento nos Correios continuará ocorrendo. A população não pode ser penalizada por causa da interferência criminosa na agência bancária. Uma solução urgente tem que ser encontrada para interromper essa penalização descabida e refutável imposta aos cidadãos de bem do nosso município.
Por: Cirineu Santos e Joabe Reis

POLÍCIA DE BRASIL NOVO APREENDE CARRO ROUBADO DE MARABÁ APÓS CONSULTAR APLICATIVO DE CELULAR


Reportagem: Gleyson Araújo
www.tvcidadesbt.com.br

Ponte provisória feita por agricultores é colocada sobre o rio Uruará para dar passagem a moradores

Os moradores das vicinais 147, 155, 160 e 165 todas do lado Sul da Transamazônica, estão a 106 dias sem a ponte sobre o rio Uruará, que desabou no dia 15 de março deste ano. Após inúmeras cobranças por parte da população, e cansados de esperar pelas promessas da Prefeitura a própria comunidade resolveu fazer uma passagem (pinguela) provisória. O agricultor José Nilson Correia da Silva, conhecido com JX do km 160 Sul falou que foi uma pequena ponte mas, que vai beneficiar centenas de famílias. “Todos fomos prejudicados com a queda da ponte do km 165 sul. Estamos há três meses nesta situação e aguardando a prefeitura fazer a ponte. Infelizmente, não fizeram e, se não fosse uma iniciativa da própria comunidade, os próprios agricultores, estaríamos ainda vendo ‘navios’. O prefeito deixa a desejar, só prometeu e não cumpriu. Nem na cidade mora”, disse.
Segundo ele, a construção da ponte provisória vai ajudar muito. ”Com a construção, deixamos de pagar pedágio. Era 3, 5, 10 a 20 reais, dependendo da carga. Às vezes não tínhamos dinheiro”, relatou. José Nilson disse que são várias famílias sofrendo. “Faltamos chorar.
Quando vemos esta cidade do jeito que está, jogada aos urubus. Os urubus tomaram conta. Uruará está parado. Não tem administração!”, desabafou.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Operação realizada em Uruará e mais 4 municípios prende dez suspeitos de fraude e desmatamento ilegal

Dez suspeitos de participação em fraudes relacionadas a desmatamentos no Pará foram presos na manhã dessa quarta-feira (1). Eles estão sendo investigados por burlar o sistema de autorização, acobertar derrubadas ilegais e por lavagem de dinheiro.
A Operação Crashwood realizou mandados de busca e apreensão domiciliares e prisões preventivas. A ação envolveu Polícia Civil, Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Ibama e Ministério Público do Estado do Pará e contou com o apoio da Secretaria da Fazenda e da Receita Federal do Brasil. Além de Belém, foi realizada em Castanhal, Uruará, Tucuruí e Itaituba.
A Madeireira Sagrada Família foi descoberta ao vender parte de seus direitos de derrubar 120 mil metros cúbicos de madeira. De acordo com a legislação estadual, uma empresa interessada em explorar madeira deve pedir autorização à Semas. Quando está liberada, insere os dados num sistema – que registra os créditos em uma espécie de floresta virtual. Cada vez que uma árvore é derrubada na floresta de verdade, é preciso dar baixa dessa árvore no sistema virtual. Um dos crimes da Madeireira Sagrada Família foi tentar vender sua floresta virtual para empresas sem direito a derrubar nenhuma árvore. Ou seja, acorbetar o desmatamento ilegal, ou “esquentar" a madeira ilegal, como se fala. As derrubadas se deram não só no Pará, como no Amazonas e em Rondônia. A madeira era revendida em Estados brasileiros e no exterior.

O superintendente do Ibama Hugo Américo afirmou, durante entrevista coletiva, que as prisões e apreensões representam mais de 15 mil caminhões de transporte de madeiras que deixaram de circular de forma ilegal.

As investigações levantaram que o sistema criminoso envolve um grupo ramificado que age comprando empresas em nome de laranjas. Elas vendem os créditos de forma ilegal até que o CNPJ dessa seja bloqueado. Depois disso, abrem um próximo empreendimento fraudulento. Entre janeiro e junho deste ano, essas empresas movimentaram mais de 400 mil metros cúbicos de produtos florestais, o que representa mais de R$ 400 milhões em dinheiro. 
Segundo o delegado-geral Rilmar Firmino, os investigados mantinham um estilo de vida luxuoso. Um dos presos negociou pela internet recentemente um relógio Rolex de R$ 60 mil . Outro postou fotos fazendo poses em cima de pilhas de madeira e outro pagou um voo particular de São Paulo para Paris. 

Entre os suspeitos presos hoje, está uma engenheira florestal, funcionária da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará, acusada de lançar os créditos fraudulentos na pasta da madeireira Sagrada Família no Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais (Sisflora).



Em Parauapebas,15 vereadores são suspeitos de corrupção

Quinze vereadores de Parauapebas, no sudeste do Pará, estão sendo investigados pelo Ministério Público do Estado (MPE) por suspeita de corrupção na Câmara Municipal. O vereador e ex-presidente do órgão, Josineto Feitosa (SDD), foi preso na sua residência nesta quarta-feira (1°) pelo Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (GAECO), ligado ao MPE, durante a segunda fase da operação Filisteus. Ele é suspeito de fraudar licitações na prefeitura do município. O cunhado e assessor de Josineto, Herbert Herland Matias de Gomes, teve a prisão decretada, mas ainda não foi localizado. O advogado de Herbert informou ao MPE que ele vai se apresentar, mas, para os promotores, ele é considerado foragido da Justiça.
“Nós apreendemos uma quantidade bem grande de documentos que vão permitir que a gente saiba a extenção dessa cadeia criminosa, quem participa efetivamente dela, quem se beneficiou do dinheiro público”, afirmou o promotor Hélio Rubens.

Notebooks furtados de escola são recuperados em São Félix do Xingu

Dois notebooks furtados da Escola Municipal Bárbara de Alencar, em São Félix do Xingu, sudeste do Pará, foram recuperados, segundo informações divulgadas nesta quinta-feira (2).
Os furtos se registraram na noite do último dia 28 de junho. Após o registro do crime, a equipe coordenada pelo delegado Lenildo Mendes iniciou investigação até chegar aao suspeito que estava com um dos equipamentos.
Em depoimento, segundo a polícia, ele confessou que havia comprado o computador de um adolescente. Os policiais civis foram até o local onde estava o jovem e ali encontraram o outro equipamento eletrônico e apreenderam o adolescente. O delegado Lenildo Mendes informou que o jovem responderá por ato infracional de furto. Já o homem responderá pelo crime de receptação de produto de furto.
G1 Pará

MISS PARÁ 2015 TERÁ CONCORRENTE DE URUARÁ

PELA PRIMEIRA VEZ URUARÁ TERÁ REPRESENTANTE NO MISS PARÁ

O Miss Pará 2015 será a 60ª edição do tradicional concurso de beleza feminino que seleciona a melhor paraense para que esta dispute o título de Miss Brasil. E esta será a primeira vez que o município de Uruará (município da Transamazônica) terá uma representante. O concurso ocorrerá no dia 24 de julho de 2015 e será realizado no Hangar Centro de Convenções da Amazônia em Belém.

A representante uruaraense será a estudante de Ciências Contábeis, Mayrla Sindhel da Luz Moura, 21 anos, que é uruaraense de nascimento. Filha do agricultor Alberto Sales de Moura e da empresária Cláudia Maria da Luz Lima.

Mayrla cedeu entrevista ao jornalista Joabe Reis da Rádio Regional FM 91.3 de Uruará e falou sobre a sua decisão de representar o município no concurso. Veja a entrevista:

Regional: Qual é o sentimento de representar Uruará?
Mayrla: O meu sentimento por Uruará é um sentimento de Amor. Nasci e fui criada nesse município, e é um grande prazer poder representar as mulheres lindas que aqui tem. Eu vou dar o meu melhor, pois com certeza Uruará é a minha terra e eu tenho orgulho de ser Uruaraense.

Regional: Quais são seus objetivos?
Mayrla: Então meus objetivos ... é aonde eu estiver sempre fazer o melhor.

Regional: Do que a Mayrla gosta?
Mayrla: Eu gosto de ler, livros românticos, livro de auto-ajuda...

Regional: Como você se define?
Mayrla: Sou uma pessoa extremamente divertida, carismática. Tenho muita facilidade de interagir com as pessoas. Confesso que as vezes sou um pouco tímida.

Regional: O que te motivou a participar do concurso? Como isso aconteceu?
Mayrla: Tudo começou com uma marcação nas redes sociais e as pessoas começaram a me incentivar dizendo que eu tinha que representar o município. Então a coordenadora geral do oeste do Pará me encontrou e me vez o convite que demorei um pouco para responder, mas decidi por representar a minha terra querida.

Por sua beleza e carisma a representante uruaraense tem grandes chances de ser coroada Miss Pará 2015. Os cerca de 50 mil habitantes do município estarão na torcida para ver e ter uma uruaraense concorrendo no Miss Brasil 2015.
Estamos com você Mayrla Moura.

Ficha da candidata uruaraense:

Nascimento: 07/04/1994
Signo: Áries
Altura: 1,79
Filiação: Cláudia Maria da Luz Lima e Alberto Sales de Moura.
Escolaridade: Estudante do curso de ciências contábeis pela Faeco
Naturalidade: Uruará (PA)
Veste: Le Finesse

Por: Joabe Reis

POPULAÇÃO DE URUARÁ SOFRE POR FALTA DE ASSISTÊNCIA BANCARIA.

Com mais de 20 dias sem o Banco do Brasil entra em funcionamento, depois do ocorrido do assalto a 
agencia centenas de pessoas são obrigadas a procurar a agencia dos correios, onde o mesmo e correspondente do Banco do Brasil,  para fazer suas transações bancarias. 
Mas diante dos vencimento dos aposentados a situação vem a complicar, pois centenas de idosos e percionistas se aglomeram na frente dos correios na esperança de ter seus proventos, para poder realizar seus compromissos financeiros, onde nem sempre são atendidos. Muitos vem de loga distancias de 50 a 100 km da cidade e tem dificuldades diante dos esforços dos funcionários dos correios. Uma das maiores dificuldades da agencia dos correios e a falta de dinheiro que nem sempre tem disponível para poder atender a demanda. A reabertura da Agencia do Banco do Brasil ainda não tem previsão, diante dos assaltos anuais que vem acontecendo a agencia, os maiores prejudicados são a população Uruaraenses, que sempre sofre com a falta de dinheiro, onde o comercio local fica em crise.

No PA, índios são presos suspeitos de facilitar desmatamento em reserva

Dois líderes indígenas da aldeia Assurini foram presos pela Polícia Federal na Reserva Trocar, município de Tucuruí, no sudeste do Pará. Os indígenas foram transferidos para Belém e chegaram no final da tarde desta quarta-feira (1º) à capital.
Os caciques da aldeia indígena Assurini Purake e Oliveira foram detidos sob suspeita de participação em crimes ambientais cometidos dentro da reserva indígena. De acordo com as investigações, eles se passariam por defensores da floresta, mas, na verdade, facilitariam a ação de madereiros na derrubada de madeira.
Os indígenas foram encaminhados para realizar exames no Instituto Médico Legal (IML), de onde seguem para o sistema penitenciário.
G1 Pará