terça-feira, 31 de julho de 2012

Madeireiros dominam terra onde Dorothy Stang foi assassinada.

Sete anos após o assassinato da freira norte-americana Dorothy Stang, no município de Anapu (PA), à margem da BR-230, a Rodovia Transamazônica, o Projeto de Desenvolvimento Sustentável Esperança, mesmo com todo o simbolismo e possibilidades que carrega, está praticamente abandonado pelo governo, à mercê de exploradores ilegais de madeira, grileiros de terras e sofre até impactos por conta da hidrelétrica de Belo Monte.

A criação do PDS Esperança foi oficializada em 2004. Das cerca de 200 famílias assentadas, apenas 48 receberam as casas a que têm direito através do crédito habitação, liberado pelo Incra. A energia elétrica prometida há três anos ainda não chegou, e não há ambulância no local.

Para chamar socorro alguns moradores estão há mais de 20 km de um ponto onde há sinal de celular. Não existe transporte público e para ir até Anapu os assentados pagam R$ 15 para viajarem na carroceria de uma camionete particular que passa apenas três vezes por semana – e alguns deles têm que caminhar até 7 km até o ponto onde a camionete passa.

As estradas são ruins, e o escoamento da produção dos assentados é outro entrave. Neste ano foi estabelecido um Grupo de Trabalho especial do Incra em Anapu, mas seus funcionários chegam a ficar mais de um mês sem tirar folga nos finais de semana e invariavelmente trabalham com sobrecarga de horário.

Responsável por regularizar a situação de conflitos fundiários e fomentar o desenvolvimento dentro dos assentamentos, o Incra tem equipe reduzida na região e sofreu um corte de 70% em seu orçamento nacional este ano.

Para complicar ainda mais, o preço dos tijolos na região está inflacionado por causa da demanda das obras de Belo Monte.

- O milheiro do tijolo custava cerca de R$ 350,00 há um ano atrás. Agora custa mais de R$ 700,00, mas o valor para compra de materiais para construção das casas dos assentados continua o mesmo, de R$ 15 mil reais. Os caminhões de Belo Monte vem até às lojas com funcionários para carregar os tijolos e pagam em dinheiro. Já nós precisamos que seja entregue dentro do assentamento – relata um servidor do Incra. Com as estradas ruins, os donos das lojas preferem não correr o risco de arcar com o transporte do material para os assentados.

No dia 6 de junho, Marcio Ribeiro, 25, com a esposa Natalha Almeida, 18, e o filho Jeremias, foram assentados no seu pedaço de terra na área do Lote 55.

Com o capim tendo crescido mais de dois metros de altura, famílias como a de Márcio são assentadas sem ainda ter recebido o crédito de apoio inicial do governo (R$ 3.200 para compra de ferramentas e bens de primeira necessidade) e sem ter uma casa, a que assentados de reforma agrária têm direito. Isoladas, as famílias de assentados o lote têm que desbravar sozinhas o matagal e iniciar sua plantação. Enquanto fazem isso, muitos têm ainda que intercalar seus dias "tirando diárias" para fazendeiros da região, ganhando R$ 25,00 por dia de trabalho para sobreviver.

A imagem de Márcio e Natalha, segurando no colo o pequeno Jeremias, diante de um barraco de madeira coberto com palha, e de suas coisas empilhadas e uma panela de feijão cozinhando no gás que compraram "fiado", se contrapõe àquela dos grandes fazendeiros e madeireiros desfilando pela cidade em suas caminhonetes Hylux 4×4. Contraste visível do modelo de desenvolvimento escolhido, por planejamento ou omissão, para a fronteira de expansão econômica do país.

Assentados resistem

Contrariando todas as expectativas pessimistas, o Esperança tem tudo para dar certo. Ivonildes Santos Sousa, 45, a única mulher a ter participado do bloqueio aos madeireiros no ano passado, vive no PDS Esperança desde que foi criado, em 2004, e já plantou mais de 7 mil pés de cacau em seu terreno. O cacau é uma das principais alternativas para agricultura aliada à conservação ambiental na região, pela maneira como a espécie convive com a floresta. E a terra é boa. Com a compra das sementes subsidiadas pela CEPLAC, órgão ligado ao Ministério da Agricultura, os assentados têm conseguido produzir. Ate hoje Ivonildes não recebeu a casa a que todo assentado de reforma agrária tem direito.

Antônio Silva, 42, ocupa há dois anos sua terra no Lote 55. Com a ajuda da esposa e dos cinco filhos, já plantou 3 mil pés de cacau, mandioca, banana, batata, arroz, feijão e milho. O único recurso que recebeu do governo foi o crédito como apoio inicial, no valor de R$ 3,2 mil. Ele também não teve construída sua casa e vive em um barraco que ergueu aproveitando as estacas da cerca da fazenda que existia ali.

Conhecido pelo apelido de "Índio", Antônio tido como exemplo pelos outros assentados do que um homem pode fazer em sua terra com as próprias mãos. Depois de passar muita dificuldade, já consegue tirar da roça o alimento básico e, para comprar o que não pode plantar (óleo, café, açucar, gás etc) ainda é obrigado a trabalhar em regime de diária para fazendeiros da região.

No ano que vem sua plantação de cacau começa a produzir. Morando na área mais distante do assentamento, ele terá o desafio de transportar a produção para vender em Anapu, ao preço hoje de R$ 4,30 o quilo. Sem as condições mais básicas de infra-estrutura, os assentados também não têm uma organização coletiva para transportar e beneficiar o cacau, o que agregaria maior valor ao produto.

Antônio conta que não gosta de televisão, mas diz que seria bom de tivesse energia elétrica pra ter uma geladeira.

- Aí a comida não estragava. No inverno (meses de chuva) é difícil a gente conservar carne salgando.

E Índio sorri de contentamento por estar trabalhando na própria terra:

- Esse apelido de índio me caiu bem, porque eu sou como índio mesmo. Quando estou fora, o que mais quero é voltar pra cá.

Irmã Dorothy

Num contexto em que imensas áreas públicas, com a anuência das autoridades, foram apropriadas por um ciclo econômico cruel, que desviou o recurso público, expulsou e dizimou índios e ribeirinhos, devastou a biodiversidade e transformou a floresta em pasto para a criação de gado, surgiu a semente do PDS (Projeto de Desenvolvimento Sustentável) Esperança, no município de Anapu (PA), à margem da BR-230, a Rodovia Transamazônica. Pressionados por fazendeiros, madeireiros e grileiros, um grupo de pequenos agricultores passaram também a disputar a ocupação da terra na floresta.

O PDS foi um modelo de reforma agrária idealizado pela freira norte-americana Dorothy Stang, que pretendia conciliar a conservação da Amazônia com o desenvolvimento sócio-econômico dos trabalhadores rurais – a maioria deles migrantes nordestinos transformados pela contingência em "povo da floresta". A irmã Dorothy, como era conhecida, apoiava e estimulava a ocupação da floresta por estes trabalhadores e articulava apoio político e visibilidade para a causa deles em Brasília.

Mas a atuação da freira foi encarada como um obstáculo para alguns fazendeiros e madeireiros da região, por dar aos trabalhadores rurais a consciência de organização e de poder decidir o próprio destino. Na manhã do dia 12 de fevereiro de 2005, Dorothy Stang foi assassinada com seis tiros enquanto percorria à pé, segurando a Bíblia com a mão direita, uma estrada de terra dentro do Esperança.

Em seus momentos finais, Stang teria recitado um trecho do sermão da montanha para os seus assassinos, dois pistoleiros contratados por Vitalmiro Moura, o Bida, que se dizia dono do Lote 55 (3 mil hectares de terra numa área anexa ao PDS Esperança, que estava sendo disputada pelos assentados apoiados pela freira), como provado no processo judicial que culminou com a condenação dos criminosos.

Bida foi condenado, junto com outro fazendeiro, a 30 anos de prisão. No local onde caiu o corpo inerte de Dorothy, está afixada uma cruz em sua homenagem e uma placa, que posteriormente foi alvejada por tiros de espingarda.

Na época, a comoção nacional e internacional causada pela sua morte forçaram os institutos de meio ambiente e de reforma agrária do governo federal à uma atuação forte. O Lote 55 enfim foi retomado pelo Incra e incorporado ao PDS e o Ibama manteve uma certa rotina de fiscalizações nos anos seguintes, incluindo a autuação, em 2009, no valor de R$ 169 milhões, da Agropecuária Vitória Régia S.A., empresa de Délio Fernandes, então vice-prefeito de Anapu, eleito com Chiquinho do PT, o atual governante municipal. Atualmente, Délio Fernandes disputa o cargo de prefeito na vizinha Altamira.

Luta sem fim

Com o passar do tempo, a indústria da madeira ilegal voltou à carga. No início de 2011, diante da invasão desenfreada de madeireiros ao Esperança -relatos indicam que mais de dez caminhões carregados de toras valiosas saíam ilegalmente todos os dias do assentamento-, um grupo de assentados decidiu formar um bloqueio humano na principal estrada de acesso.

O bloqueio foi mantido por sete meses -num conflito em que os assentados sofreram ameaças e intimidações constantes, um deles tendo sua casa incendiada pelos madeireiros- e foi retirado apenas quando o governo federal inaugurou, em agosto último, uma guarita com vigilância armada durante 24 horas para coibir a ação dos madeireiros, tornando o Esperança o primeiro assentamento do país a ter este tipo de guarnição em seu acesso. Uma segunda guarita precisou de reforço de militares da Força Nacional de Segurança durante sua construção.

Mesmo com as guaritas, em maio deste ano, funcionários do Incra verificaram o reinício das atividades de extração ilegal de madeira dentro da reserva de floresta amazônica do PDS Esperança. Em incursão à mata, encontraram trilhas abertas que ligam o PDS à Terra Indígena Trincheira-Bacajá, que faz limite ao sul do assentamento e estaria sendo utilizada como alternativa para driblar as guaritas.

Foram encontradas também árvores de grande valor comercial marcadas para futuro corte (primeiros passos da ação madeireira, etapa chamada de "inventário"). Os seguranças contratados pelo Incra são de uma empresa particular e não tem poder legal para autuar madeireiros.

- O Ibama só vem quando a gente faz pressão e protesto grande. Era para virem mais, ou terem pelo menos um agente aqui – diz um agricultor.

Nova diretoria da Norte Energia toma posse.

Em nota enviada a imprensa na tarde desta segunda-feira (30), a Norte Energia S.A apresentou sua nova diretoria. Sai Carlos Nascimento entra Duílio Diniz.

Leia a nota

Em virtude do aprovado pelo Conselho de Administração da Norte Energia S.A., empresa responsável pela implantação, construção, operação e manutenção da Usina Hidrelétrica Belo Monte, tomaram posse nesta segunda-feira 30 de julho de 2012 a diretoria cujo mandato estará em vigor até 30 de julho de 2014: Duílio Diniz de Figueiredo como Diretor-Presidente; Marcelo Perillo, Diretor Financeiro; Wellington Lopes Ferreira, Diretor de Fornecimento e Montagem; João dos Reis Pimentel, Diretor de Relações Institucionais; Antonio Kelson Elias Filho, Diretor de Construção; Roberto Camilo da Cruz Oliveira, Diretor Socioambiental e Marcelo Barros Andrade, Diretor de Gestão.

Fonte: Altamira Hoje

SENADOR JOSÉ PORFIRIO: Candidato a vereador é preso acusado de pedofilia.


      Em Senador José Porfírio á 180 km de Altamira, um candidato à vereador foi preso em flagrante acusado pela polícia militar de pedofilia. Ele foi encontrado com uma menina de 14 anos, a garota estava com sacos de biscoito e 30 reais que foram oferecidos pelo acusado em troca da relação sexual.
No caso de pedofilia em Senador José Porfirio, a polícia militar encaminhou o acusado para a delegacia da cidade, ele foi apresentado ao delegado de plantão, a policia civil do município não deu maiores informações sobre o caso, e proibiu imagens do acusado, apenas conhecido como “Boinha”, o homem ficou preso e deve ser enquadrado no artigo 228 por crime de aliciamento de menores. Se condenador o acusado pode pegar de 1 a 4 anos de reclusão.

Por: Felype Adms.

Lyoto Machida desafia Ryan Bader

Escrito por Valéria Furlan   

O tempo de espera foi longo, mas finalmente chegou ao seu fim. Sem lutar desde dezembro do ano passado, Lyoto Machida volta ao octógono do Ultimate Fighting Championship (UFC) para trilhar seu caminho de volta ao topo. No próximo sábado (04), Machida enfrentará Ryan Bader em Los Angeles, em uma das lutas do card principal do UFC On Fox 4.
Antes, Lyoto ficou sem definição de uma possível luta, chegando a cogitar uma troca de categoria para poder se manter ativo no esporte. Com o anúncio de sua volta ao UFC, Lyoto intensificou seus treinos para se preparar. O americano Ryan Bader não é um total desconhecido do lutador paraense. Vencedor da oitava temporada do The Ultimate Fighter americano, Bader chegou a treinar com Machida durante alguns episódios do reality show.
Segundo Lyoto, o treinamento sempre é focado para o UFC, mesmo antes de qualquer luta ser anunciada. A partir do anúncio, o treinamento começa a se focar no estilo do adversário. "Esse tipo de treinamento já vinha sendo feito, então agora é especificar cada vez mais, se moldando ao adversário. Pra poder aprimorar mais, pois ele é um cara que vem do Wrestling (estilo de luta que se utiliza de agarramentos), um cara que é muito bom de queda e vem de uma grande vitória", revela Machida.
Apesar da própria academia em Belém, Lyoto está em preparação para a luta em Los Angeles, na Blackhouse, mesma academia onde os brasileiros Anderson Silva, Minotauro e Wanderlei Silva treinam. Além da luta do paraense, o evento ainda contará com outro brasileiro no card principal. Maurício "Shogun" Rua enfrenta o americano Brandon Vera pela luta principal da noite. Segundo o chefão do UFC, Dana White, os dois brasileiros têm chance de voltar a disputar o cinturão dos meio-pesados, que atualmente pertence a Jon Jones.


O Xingu

Fonte: DOL

Após funcionários serem mantidos reféns, Norte Energia deixará de enviar técnicos a aldeias

Escrito por Valéria Furlan   

A Norte Energia, empresa responsável pela obra e operação da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, divulgou nota na qual diz que, por temer pela segurança de seus funcionários, deixará de enviar técnicos às aldeias para discutir as condicionantes previstas no Projeto Básico Ambiental do Componente Indígena (PBA Indígena), aprovado pela Fundação Nacional do Índio (Funai) no início de julho. A empresa reafirma o cumprimento dos pontos acordados com o órgão indigenista.
A nota foi divulgada ontem (29), após reunião com cerca de 20 líderes indígenas das etnias Arara da Volta Grande e Paquiçamba. No texto, a empresa afirma que não retornará às aldeias para discutir a transposição de embarcações do Rio Xingu, por temer pela segurança de seus técnicos, "após o sequestro dos três funcionários na Aldeia Muratu que durou cinco dias". No dia 24, esses funcionários foram detidos por índios das etnias Juruna e Arara na Aldeia Muratu (PA).
O direção da Norte Energia repudia o sequestro dos funcionários e reafirma o cumprimento das ações e programas acordados dias antes com os índios no que se refere à abertura de estradas, abastecimento de água, implantação de postos de vigilância, aquisição de veículos e equipamentos. "Não havia qualquer razão para essa violência", destaca a nota.
Segundo o texto, a reunião – ocorrida no campus da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Altamira (PA), com representantes dos índios, Funai, Ibama, Ministério do Planejamento, Secretaria Geral da Presidência da República e Ministério Público Federal – foi avaliada como "satisfatória" pelas partes. Entre as reivindicações apresentadas pelos índios está a instalação de sistemas de abastecimento de água, por meio dos poços artesianos, em cinco aldeias. A empresa garantiu que, até 31 de agosto, serão perfurados poços nas aldeias Muratu, Terrã Wangã e Paquiçamba; e até 15 de setembro nas aldeias Furo-Seco e Aldeia Nova.
A Norte Energia se comprometeu em, até 27 de setembro, apresentar um cronograma de obras de infraestrutura relativas ao PBA Indígena, que prevê, entre as ações de engenharia, a construção de escolas, moradias e unidades de saúde.
Fonte: O xingu

Agricultora do travessão da 11 de Brasil Novo investe em piscicultura e se torna exemplo de reportagem especial no SBT Altamira.

Com o objetivo de garantir a segurança alimentar e aumentar a renda familiar, uma agricultura da região começou a investir em um projeto de piscicultura onde ela cria cerca de três mil peixes. É a nossa homenagem ao dia do agricultor, comemorado no ultimo sábado, dia 28.                                             
Rosiara Santos (agricultora)

No pequeno açude, a  agricultora Rosiara Santos cria tambaquis á base de ração há pelo menos seis meses, ela nos conta como surgiu a idéia de investir em piscicultura.

Devido o horário de gravação da reportagem,15:45 os peixes quase não apareceram para se alimentar, Lara Paula Silva de apenas 10 anos, explica que eles costumam ser alimentados ás 17 : 30. Quando os avós dela não estão no sítio, é ela que cuida da criação.

Lara Paula Silva de apenas 10 anos, explica que eles costumam ser alimentados ás 17 : 30.
 Na propriedade que pertence á mãe de Rosiara  a piscicultura hoje é uma realidade  e a agricultura  já não depende somente da produção do leite e hortifrutigranjeiros, com a piscicultura, ela diversifica a produção e aumenta a renda de toda família.

Foto: Blog siddy souza
Seja criando galinha, produzindo hortaliças, cuidando do cacau, investindo na criação de peixe ou gado, que os nossos agricultores da região ganham destaque no país. São através desses incentivos que eles  aumentam a produtividade da agricultura familiar.

Esperamos que tenham gostado das reportagens especiais feitas em homenagens aos produtores rurais e aos agricultores.





Por:  Sidalécio Souza e Márcio Lopes

Brasil Novo - Jovens da comunidade Cacaulândia investem em Horticultura.



Alencar Lima e Joabe Pires são os jovens responsáveis em desenvolver um projeto de fomento das atividades de horticultura na comunidade Cacaulândia em Brasil Novo

 
Jovens da comunidade Cacaulândia em Brasil Novo estão investindo no cultivo de hortaliças e garantindo renda á toda comunidade é a nossa homenagem ao dia do produtor rural que foi comemorado no último dia 25.
Dois jovens e uma responsabilidade, cultivar cerca de 42 mil pés de hortaliças, entre alface, cebola em palha e couve. Alencar Lima e Joabe Pires são os jovens responsáveis em desenvolver um  projeto de fomento das atividades de horticultura na comunidade Cacaulândia em Brasil Novo, há 41 km da sede de Altamira. Alencar de apenas 15 anos é considerado um pequeno produtor rural, ele nos fala como surgiu à ideia de cultivar hortaliças na região.
Com  aquisição de um micro trator os jovens pretendem ampliar as áreas protegidas para produção de mais hortaliças, “trabalhar em contato com a natureza também é importante”, diz Joabe Pires de 17 anos.
Foto: Blog siddy souza
Jovens, porém bastante experientes Alencar e Joabe nos mostrou o inicio de todo o processo de produção das hortaliças orgânicas, desde de a composição da terra com o adubo, até o processamento de mudas.
A produção de mudas pode ser feita em pequenos copos descartáveis, mas, também poderia ser de bandejas de isopor, os produtores rurais diz que o uso do copinho facilita a semeadura e o manuseio das mudas; permitir o controle sanitário e nutricional; a dificuldade mesmo é no transporte para o local definitivo. Na área há uma estrutura de proteção para a produção das mudas que é coberta com plástico apropriado. O local possui temperatura elevada e baixa umidade relativa. Após falarmos um pouco de parte do trabalho dos pequenos produtores da Cacaulândia.  A satisfação em ouvir deles o prazer em ajudar na economia da região transamazônica e Xingu, já que os produtos são comercializados para grandes empresas.
Foto: Blog siddy souza
  
O objetivo da reportagem em homenagem ao dia do produtor rural comemorado no último dia 25,foi mostrar que a produção de diversos produtos em nossa região está sendo constante  e está garantindo o abastecimento local e regional.

Comentário: Não é novidade dizer que enquanto o Brasil têm apenas 10,9% dos jovens entre 18 e 24 anos matriculados em Instituições de Ensino Superior, nossa vizinha, a Argentina, apresenta uma porcentagem de 48%,lendo uma noticia sobre o tema  produção agrícola, pude me informar sobre estatísticas do ministério da educação no brasil que os jovens vem se dedicando cada vez mais e melhorando a economia do país sem precisar abandonar o meio rural, a reportagem que acabamos deproduzir é um exemplo disso.
Por: Sidalécio Souza com imagens de Márcio Lopes.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Justiça Eleitoral já liberou 5 mil candidatos.

Cinco mil candidatos no Pará já foram liberados pela Justiça Eleitoral para concorrer ao pleito de outubro, de acordo com informações do Sistema de Divulgação de Candidatos (Divulgacand) do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os números ainda são parciais e estão sujeitos a alterações. Porém, evidenciam o longo caminho que os 97 juízes eleitorais, que estão cuidando dos registros no Pará, ainda precisam percorrer para cumprir o prazo legal de 5 de agosto, para que todos estes pedidos estejam julgados em primeira instância. Este ano, 18.088 candidatos vão disputar o voto do eleitor no Estado.

São 478 chapas concorrendo à eleição majoritária, ou seja, aos cargos de prefeito e vice. E outros 17.132 candidatos pleiteando vagas no Legislativo Municipal. Deste universo, 580 políticos sofreram pedidos de impugnação ao registro de candidatura, seja por meio de ações propostas pelo Ministério Público Eleitoral ou pelas coligações, partidos ou candidatos adversários. Ou ainda por meio de notícias de inelegibilidade fornecidas pelos cidadãos.

O tempo para apreciação destes recursos, no entanto, é curto. Faltando apenas uma semana para fim do prazo, apenas 60 pedidos de impugnação já foram julgados. Deles, 38 acusações foram consideradas improcedentes e os candidatos poderão concorrer normalmente, 19 tiveram o registro indeferido e três já estão, inclusive, recorrendo da decisão ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Fonte: O Liberal.

FILHO DO VEREADOR NETO PORTUGAL SOFRE ACIDENTE


Lennon Portugal, filho do vereador Neto Portugal, sofreu um acidente de moto.
O caso aconteceu na Tarde de Ontem na nas proximidades da Orla do Caias na cidade de Altamira onde Lennon mora.
No acidente o Jovem Lennon fraturou a clavícula esquerda e o joelho direito e teve várias escoriações pelo corpo.
O jovem foi levado a o Hospital, mas já está fora de perigo.
Outras notícias sobre o quadro de saúde de Lennon Portugal aqui no site a qualquer momento ou com Valdemídio Silva na edição do programa Espaço Aberto de amanhã.




Por: Valdemídio Silva
Equipe Popular FM
Foto//Família
Fonte:www.rpopularfm.com

Dá para acreditar? Altamira: Candidata a vereadora tem dois registros

gistros

 

A candidata Rosa de Paula Leite está registrada no tribunal regional eleitoral pelo PDT com o numero 12650, e pelo PT, com o 13650. Mas essa não é a única curiosidade. Na declaração de gastos com a campanha. No Partido Democrático Trabalhista o seu limite de campanha é de R$ 25.000,00, já no Partido dos Trabalhadores, ele é de R$ 100.000,00.
Nos dois casos, a candidata aguarda julgamento. O blog enviou um e-mail para os dois endereços que aparecem nos registros da senhora Rosa pergunbtando se ela gostaria de se pronunciar sobre o duplo pedido de registro. Aguardamos a resposta. Por telefone, o TSE fol consultado, mas ninguém atendeu nossas ligações
.
 
Fonte: TSE e Blog da Karina Pinto.

MTE será ampliado em Altamira.


Esteve em Altamira no sudoeste do Pará, o Superintendente do Ministério do Trabalho e Emprego no Pará, Odair Correa que veio verificar de perto a situação da unidade do MTE em Altamira. Hoje a superintendência não chega a 10 funcionários na região.

A região da Transamazônica e Xingu é a que mais gera empregos no Pará, e elevou o estado na contratação de mão de obra qualificada com carteira assinada. Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócioeconômicos (DIEESE), são mais de 22 mil empregos formais só no primeiro semestre de 2012. Com tantos trabalhadores no mercado, alguns serviços precisam de ampliação, como o próprio MTE de Altamira.

A restruturação da Superintendência em Altamira vai contar com a contratação de mais 20 funcionários, sendo 10 auditores fiscais. Na cidade será implementado ainda o PRONATEC, uma capacitação profissional para trabalhadores que receberam o 3º seguro desemprego em 10 anos.

Os novos servidores, a construção de um novo prédio e a reestruturação do órgão em Altamira estão previstos já para o próximo ano.

Por: Felype Adms e Márcio Lopes.

Produtores rurais estão assustados com a banalização da violência urbana em Altamira

A banalização da violência urbana e os crescentes índices de criminalidade amedrontam cada vez mais a população na região transamazônica e Xingu. Não se vive hoje sem o medo constante da agressão física ou moral, não se consegue mais estabelecer um sentimento de segurança plena, até os produtores rurais que vivem em propriedades afastadas da cidade veem a tranquilidade ameaçada.
Srº Sebastião em conversa  Sidalécio Souza
A polícia civil divulgou na semana passada que a violência em Altamira tem tido relevantes quedas  em casos de roubo e furtos, mesmo assim a violência vem assustando moradores de chácaras nas proximidades do perímetro urbano de Altamira. De acordo com os produtores a criminalidade se agrava e o ambiente que antes era considerado seguro e tranquilo já não é mais tão agradável.
A chácara do senhor Sebastião Alves fica a 5 km distantes do perímetro urbano de Altamira. Vivendo no local a pouco mais de 17 anos, Sebastião produz de tudo um pouco, mas o forte mesmo é a laranja, que ele comercializa na sede do município.
Como a população de Altamira vem crescendo, o produtor fala de outros preocupantes problemas, entre eles, o fluxo de veículos e as  pequenas ruas.
Srº Eurico
Eurico Teixeira também é produtor rural e pioneiro no ramal do itaboca, ele lembra que antigamente era possível dormir inclusive com as portas abertas, hoje a realidade é outra.  
Srº João
É  em um pequeno sítio que seu Eurico cria galinha, planta macaxeira, colhi feijão, e vai vivendo como pode, sempre contribuindo com a economia da  região, seja através da venda de ovos caipira, galinhas em fim.  João Alves de 63 anos faz parte do quadro de produtores rurais que estão preocupados com a segurança pública.
De olho em um futuro melhor, seu João e os demais produtores, esperam que mais investimentos sejam feitos na área da tão sonhada segurança.
Por: Sidalécio Souza e José Ribamar

TJE mantém Claudiomiro Gomes cassado.

A 1ª Câmara Cível Isolada do Tribunal de Justiça do Pará, acatando voto da relatora, desembargadora Marneide Merabet, restabeleceu os efeitos de uma resolução da Câmara Municipal de Altamira que havia rejeitado as contas do ex-prefeito de Altamira, Claudomiro Gomes. Ele tenta voltar ao poder, concorrendo ao mesmo cargo que exerceu entre 1996 e 2000.

A rejeição das contas, no entanto, poderá deixar Gomes de fora da atual disputa. O candidato tem prazo de dez dias para apresentar recurso, mas a situação ficou ainda mais difícil, já que ele está passível de se tornar inelegível.

Fonte: DOL.

Governo elimina impostos do setor elétrico e preço da energia deve cair.

O governo anunciou nessa quinta-feira, 26, mais uma medida de estímulo à economia. De acordo com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o governo suprimiu encargos setoriais que incidem sobre tarifas. O ministro disse que isso será feito porque a geração de energia elétrica é uma atividade barata, mas que encarece no meio do caminho.
Além do corte de tributos, o governo está concluindo a proposta de renovação dos contratos de concessão de energia que vencem em 2015. Como a renovação das concessões vai deixar de remunerar os ativos depreciados, aliada à eliminação dos encargos, a tarifa de energia deve cair pouco mais de 10%.
“Vamos retirar estes obstáculos que estão no meio do caminho e, com isso, vamos ter uma tarifa reduzida sobretudo para o consumidor mais forte que são os industriais. Vamos retirar todos (os encargos)”.
O ministro disse que o governo vai eliminar a CCC (Conta de Consumo de Combustíveis), RGR (Reserva Global de Reversão) e CDE (Conta de Desenvolvimento Energético) e, provavelmente, o Proinfa (Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica).
O ministro ressaltou que o programa Luz para Todos, que é financiado por estes encargos, será mantido e que o Tesouro Nacional vai assumi-lo. “Eles acabam e aquilo que hoje é financiado por estes encargos, como Luz para Todos, o Tesouro assume.”
Sobre a possibilidade de redução do ICMS, o ministro ressaltou que esta é uma decisão que cabe aos Estados. “É claro que nós gostaríamos muito que os governos estaduais também reduzissem o ICMS, mas isso é uma questão de autonomia de cada Estado”, afirmou.
Novas Concessão
Segundo Lobão, os estudos para a renovação da concessão já estão no Palácio do Planalto. Lobão estimou que entre 15 e 30 dias, o governo terá condições de enviar ao Congresso Nacional uma “mensagem” propondo a alteração na legislação, de forma a permitir a renovação dos contratos.
O ministro destacou que o objetivo da medida é reduzir o custo da energia “notadamente” para o setor industrial e empresarial. “Com o custo de energia caindo, a indústria pode ser cada vez mais competitiva”, afirmou durante cerimônia de balanço do PAC 2.
Ele lembrou que o novo modelo, instituído pela então ministra Dilma Rousseff, consiste na modicidade tarifária. “Este modelo está entrando em vigor, é forte e bem intencionado”, disse. “Os contratos vencem em 2015 e a lei determina o retorno dos ativos ao patrimônio da União para novo leilão. Na reformulação da lei, vamos permitir a renovação das concessões”, explicou o ministro.
Fonte: Estadão

Candidato é preso em Senador José Porfírio.

O CASO

A policia militar atendeu uma denúncia de envolvimento de um homem com uma menina de 14 anos, em Senador José Porfírio cidade à 180km de Altamira, no Oeste do Pará, a informação foi repassada na manhã deste sábado (28) à guarnição do Sargento Junio e o Soldado Albino da polícia militar, eles foram até a casa do acusado e encontram o homem conhecido como "boinha" na companhia de uma menina de 14 anos, ela estava com biscoitos em uma sacola, e uma quantia de R$30 reais que foi oferecido pelo acusado em troca de relação sexual.
"Logo após a denuncia, não perdemos tempo e procuramos levantar informações do local, no centro da cidade de Souzel, chegamos lá e constatamos a veracidade dos fatos, o acusado não esboçou reação, agora ele fica à disposição da justiça" Disse o Sgtº Junior da Polícia Militar.

"Boinha" foi preso em flagrante delito e encaminhado para delegacia de polícia civil no municipio. Durante a tarde deste sábado por volta das 18 horas ele prestou depoimentos. Ele permanece preso e deve responder por algum tipo de crime não repassado pelo delegado.
LAMENTAMOS
Tentamos coletar material para a reportagem ou levantar maiores informações sobre o caso porém o Delegado que recebeu a situação, não se pronunciou, não recebeu a equipe de reportagem e proibiu fazer imagens do acusado ou do local onde ele prestava depoimentos, com a equipe o delegado que não se identificou, se quer comprimentou ou perguntou em que trabalhavamos, trocou apenas as seguintes palavas.
"Eu não quero, que façam imagens em vídeo ou foto do rapaz"
Sem entender o motivo da recusa, descobrimos apenas que o acusado é candidato a vereador na cidade. Seria esse motivo pelo qual as informações foram negadas à população? Proibir o trabalho jornalístico ou dificultar a apuração de informações fere de morte a constituição federal e nos remonta a tempos de cabresto e coação, quando interesses obscuros ou alheis manipulavam a notícia e destorciam os rumos dos fatos.

Saber que estamos em 2012 e temos direito ao menos de públicar os fatos já nos deixa satisfeitos, lamentos aos nossos internautas que ficaram sem os detalhes da notícia, esse sim é um prejuízo irreparável.

Entramos em contato com o Superintendente de Polícia Civil em Altamira, Cristiano Marcelo do Nascimento e informamos o fato.

Por: Felype Adms.

Norte Energia se pronuncia sobre os Engenheiros que ficaram reféns de Índios Jurunas.

Acompanhe a informação na Íntegra.
Por volta das 11h00 da manhã de hoje, a Norte Energia S.A., empresa responsável pela construção e operação da Usina Hidrelétrica Belo Monte, recebeu os dois engenheiros que foram mantidos reféns na aldeia Muratu, na terra Paquiçamba, localizada na Volta Grande do Xingu (Pará). Um funcionário, dos três retidos pelos índios, foi libertado ontem à noite.
Em 23 de julho de 2012, três técnicos, sendo um engenheiro da própria empresa e dois de prestadoras de serviço (PCE Engenharia e Leme Engenharia), se dirigiram à aldeia para expor, de maneira absolutamente pacífica, o Sistema de Transposição de Embarcações, localizado no sítio Pimental, no Rio Xingu. Este sistema começa a ser construído nos próximos meses e sua operação está prevista para novembro. De maneira surpreendente, esses três funcionários foram impedidos de deixar a aldeia. Os índios solicitaram uma resposta às demandas apresentadas na reunião do dia 10 de julho deste ano. Ou seja, há pouco mais de duas semanas.
A Norte Energia S.A. repudia esse sequestro porque todos os acordos serão cumpridos, conforme o que ficou combinado na última reunião do dia 10 de julho. A população indígena da região de influência da hidrelétrica está sendo atendida por meio de ações pontuais e pelo Projeto Básico Ambiental (PBA) do componente indígena.
A Norte Energia S.A. agradece o apoio do Governo Federal e a confiança nela depositada por suas empresas contratadas, PCE Engenharia e Leme Engenharia, que acreditaram no êxito das negociações presididas por ela.
Assessoria de Imprensa - Norte Energia S.A.
Usina Hidrelétrica Belo Monte

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Altamira: caso Dorothy Stang será reaberto


Saiu na Época
 
O delegado-geral da Polícia Civil do Pará, Nilton Athaide, afirmou ao Diário do Pará que abrirá um novo inquérito para apurar a origem da arma que matou a missionária americana Dorothy Stang em fevereiro de 2005. A decisão tem como base dois fatos novos. O primeiro é uma reportagem publicada pela revista Época em março deste ano com Amair Feijoli da Cunha , o Tato, condenado como intermediário do crime. Ele afirmou na ocasião que o revólver usado no assassinato foi cedido por Marcelo Luz, na época delegado da Polícia Civil de Anapu, onde Dorothy vivia. O segundo é o recente depoimento do policial federal Fernando Luiz Raiol, que durante três meses fez a segurança pessoal da missionária, além de ter participado das investigações do crime. Ele confirmou as declarações de Tato. “A arma foi entregue em um posto de gasolina de Anapu”, disse ao Diário.
Foto: Divulgação
Athaide recebeu uma cópia das declarações do agente federal Raiol. Ao Diário, anunciou que determinará a abertura de inquérito para apurar as acusações. Ele disse que os fatos narrados precisam ser esclarecidos pelas pessoas envolvidas. “É preciso verificar se houve apuração dessas denúncias na época e qual foi o resultado. Se não houve, isso terá de ser feito”, afirmou.

Uma reportagem publicada na revista Época no ano passado  revelou que Clodoaldo Carlos Batista, o Eduardo, coautor do crime, se aproveitou do regime aberto, que permite passar o dia livre, para não mais voltar. Estava foragido, e nem mesmo os juízes que julgaram o crime sabiam do ocorrido. Em março deste ano, o intermediário Tato deu detalhes do envolvimento de Marcelo Luz com o assassinato em nova entrevista .

(Aline Ribeiro)

Zico ex jogador do Flamengo se machuca durante amistoso em Altamira/PA.


Foto: Blog siddy souza
Ontem (25) a noite aconteceu no município à partida amistosa entre o time dos “amigos de Zico ex-jogador do flamengo” e a seleção máster de Altamira.

Foto: Blog siddy souza
Foto: Blog siddy souza
A partida aconteceu no estádio José Marino Bandeira de Matos, o Bandeirão. Com as arquibancadas lotadas, o ex: jogador e ídolo do Flamengo, ZICO e grandes jogadores de futebol dos anos 70 e 80 como: Donizetti, Cláudio Adão e Djair estiveram em campo.
A partida foi uma forma de comemorar a renovação de contrato da escolinha Zico 10 na cidade. No primeiro tempo o jogador Zico chegou a fazer um gol. Após se machucar ele teve de sair do jogo. No segundo tempo o time do ídolo fez outro gol, no final “amigos de Zico 2 x seleção máster de Altamira 0.

Por: Sidalécio Souza  e Márcio Lopes

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Denúncia: Grupo de Trabalho da Terra do Meio divulga carta sobre situação crítica na área

O Grupo de Trabalho de Consolidação Territorial da Rede Terra do Meio enviou uma carta ao site wdnoticias.com onde divulga a situação de vulnerabilidade que a região vem passando nos ultimos meses. A carta é assinada também pela FUNAI, ISA, TNC e ICMBio.
Leia abaixo a carta na íntegra:

Situação de Vulnerabilidade crítica na Terra do Meio
O Grupo de Trabalho de Consolidação Territorial da Rede Terra do Meio denuncia a situação de vulnerabilidade do conjunto de Áreas Protegidas que configuram a Terra do Meio, Altamira, Pará.
Com 7,9 milhões de hectares cobertos de forma contínua por Áreas Protegidas, a Terra do Meio é considerada, nacional e internacionalmente, uma barreira fundamental contra o desmatamento da Amazônia. Com efeito, desde 2005 até 2011 constatou-se uma redução expressiva nas taxas de desmatamento na região, redução que é interpretada como uma vitória do governo brasileiro.
No entanto, existem sinais claros de uma reversão nessa tendência. São eles:
• Aumento substancial de estradas clandestinas na fronteira noroeste da Terra do Meio;
• Alarmante intensificação da extração ilegal de madeira no interior de certas Áreas Protegidas, atingindo locais de moradia de populações tradicionais (como é o caso da RESEX Riozinho do Anfrísio);
• Manutenção, por parte de grupos empresariais e de fazendeiros, de posses em terras públicas (inclusive muitas já embargadas pelo poder público) no interior de Unidades de Conservação e Terras Indígenas;
• Episódios de extrema violência envolvendo organizações criminosas confrontadas pelo controle territorial de áreas de floresta no interior da Terra do Meio;
• A existência, evidenciada por estudos recentes, de 17 vetores de degradação que constituem ameaças à integridade territorial da TM e objetivam a apropriação irregular de terras e recursos da floresta.
Esses sinais corresponderiam a uma nova onda de degradação da floresta amazônica, caraterizada por: (i) a exploração ilegal dos seus recursos com rapidez e alcance inéditos; (ii) a adaptação do modelo exploratório de maneira a burlar os mecanismos de monitoramento e fiscalização governamentais (por exemplo, imagens de satélite de baixa e média resolução); (iii) a integração dos grupos madeireiros com as estruturas políticas locais, o que dificulta a repressão e a autuação dos mesmos.
Em consequência do exposto e tendo em vista a percepção unânime das populações locais, dos pesquisadores e das instituições públicas expressamos nossa profunda preocupação em relação à integridade territorial da Terra do Meio e solicitamos a adoção urgente de medidas destinadas ao seu controle e regularização. Entre outras ações necessárias, as mais importantes seriam:
• A execução de operações de fiscalização e repressão aos crimes ambientais efetivas, precedidas de um trabalho de inteligência e planejamento estratégico, objetivando o desmonte dos grupos criminosos envolvidos;
• O reforço dos órgãos públicos atuantes na área (IBAMA, ICMBio, SEMA, FUNAI, Polícia Federal e INCRA) especialmente no que tange recursos humanos e capacidade de atuação em campo;
• A desintrusão dos ocupantes não indígenas da Terra Indígena Cachoeira Seca, com atenção aos posseiros de boa fé, para que possam ter uma realocação digna e consensual;
• O aumento da presença institucional em pontos estratégicos, incluindo a instalação de postos de vigilância permanentes, postos de saúde, centros de formação, etc.;
• O apoio às iniciativas de monitoramento participativo comunitário;
• A atuação coesa e efetiva do INCRA nos Projetos de Assentamento limítrofes à Terra do Meio (principalmente Areia, Paraíso, Campo Verde e Placas), para neutralizar os grupos que utilizam esses locais como base de apoio na extração ilegal de madeira, e garantir a fixação de agricultores familiares.

Altamira, a 30 de junho de 2012
Grupo de Trabalho de Consolidação Territorial da Rede Terra do Meio:
Fundação Nacional do Índio - FUNAI
Instituto Socioambiental – ISA
The Natural Conservancy – TNC
Instituto Chico Mendes para a Conservação da Biodiversidade - ICMBio

Plantão: Pelo terceiro dia consecutivo, funcionários da Norte Energia continuam impedidos de sair de aldeia indígena


Volta Grande

Escrito por Valéria Furlan   


O impasse na aldeia Muratu, na Volta Grande do Xingu em Altamira, continua. Hoje (26-07) completam três dias que índios da etnia Juruna impedem a saída da aldeia de um funcionário da área ambiental e dois engenheiros que trabalham para a Norte Energia S/A, responsável pela construção e operação da hidrelétrica de Belo Monte, além de mais 10 pessoas.
Segundo informações da FUNAI, o clima na aldeia é pacífico. Os reféns podem circular normalmente pela aldeia, dormem em uma barraca coberta de palha e receberam ainda na tarde de ontem, água e alimentos, encaminhados pela Norte Energia, mas ainda não há uma previsão de quando serão liberados.
Hoje pela manhã, alguns representantes da Norte Energia, de Brasilia – DF desembarcaram em Altamira, entre eles João Pimentel, diretor de Relações Institucionais da empresa. Eles vieram participar da reunião mensal do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu – PDRSX, mas a expectativa é que esses representantes também se reúnam para discutir sobre a situação na aldeia indígena.
Entenda o caso
Funcionários da Norte Energia, além de empresas terceirizadas, representantes do Ministério Publico Federal e FUNAI, foram a aldeia indígena Muratu, na segunda-feira (23-07) para realizar uma reunião sobre os mecanismos que a empresa pretende oferecer para transpor embarcações após o barramento completo do Xingu, na altura do canteiro de obras de Pimental.
De acordo com o Ministério Público Federal, logo no início das explanações os indígenas já manifestaram desacordo com o processo, uma vez que as explicações dos engenheiros eram extremamente técnicas e de impossível compreensão. 'Havia também um clima de completa descrença dos índios na empresa, uma vez que nenhuma das condicionantes que a Norte Energia deveria ter realizado para minimizar os impactos das obras nas aldeias foi cumprida até agora', explica a procuradora do MPF Thais Santi. 'A uma certa altura, os próprios engenheiros reconheceram que a reunião era absurda, que aquilo não era oitiva, que a Funai não poderia considerar a reunião como tal e que o projeto técnico que estavam apresentando não fazia nenhum sentido', diz a procuradora.
Na manhã de terça-feira (24), após o pernoite dos funcionários na aldeia, os indígenas comunicaram à equipe que eles estariam detidos. As lideranças indígenas informaram que só vão liberar os refens depois que representantes da Norte Energia, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Fundação Nacional do Índio (Funai) forem à aldeia negociar.
Os índios exigem o cumprimento imediato das medidas condicionantes, que são ações para compensar os impactos causados pelas obras sobre as populações indigenas. "Se caso o rio fechar e nenhuma condicionante for cumprida, depois que barrarem o rio não vamos mais conseguir reivindicar nossos direitos", diz o cacique indígena Giliard Juruna.
A Norte Energia informou que já entrou em contato com a Funai para liberar os reféns o mais rápido possível. Segundo a Funai, dois representantes da Fundação estão no local para viabilizar as negociações.
Texto: Valéria Furlan com informações do Portal ORM

ELEITOR É O PRINCIPAL FISCALIZADOR DE CAMPANHAS ELEITORAIS


O eleitor é o personagem central do processo eleitoral e deve desempenhar papel decisivo na fiscalização das eleições. Segundo o secretário-geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o juiz Carlos Henrique Braga, apesar de a Justiça Eleitoral estar presente em todo o território nacional, não consegue estar ao mesmo tempo nos 5.568 municípios onde serão escolhidos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores no próximo dia 7de outubro. O eleitor deve acompanhar os passos dos candidatos e colaborar para a seriedade do pleito. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, o município de Brasil Novo tem 12.541 eleitores.
Por exemplo, é proibido algumas ações para propagandas visuais nestas eleições por exemplo se o eleitor vir um cartaz colado em uma árvore em área pública ou sem a devida autorização do proprietário o eleitor já pode acionar a Justiça Eleitoral. 

Também é proibida a colocação de adesivos ou cartazes em táxis, ônibus e veículos de aluguel isso é proibido, pois esses veículos são de uso comum, e depende de concessão ou autorização do poder público para o seu funcionamento de acordo com o art. 37, da Lei 9.504/97. Pequenos cartazes em lojas, bares ou restaurantes é proibido por serem locais de uso público. Artistas de Rádio ou Televisão podem participar da campanha de candidatos desde que não haja qualquer remuneração.

O dia da Eleição é o dia do eleitor, por isso ele deve ser repeitado e protegido para exercer seu voto com consciência e segurança.
Nestas eleições diga não à boca de urnas.
       
As denuncias deverão ser encaminhadas ao juiz eleitoral do município que é responsável para receber as denúncias e aplicar as penalidades. Além dos canais disponíveis no âmbito da Justiça eleitoral como o site do TSE www.tse.gov.br que disponibiliza diversos serviços aos eleitores, o cidadão também pode fazer denúncias às polícias Civil e Militar em qualquer município do Brasil.

Para saber o que pode ou não durante a campanha eleitoral, acesso o link:

Por: Valdemídio silva
Equipe Popular FM
Fonte:  www.tse.gov.br e Agência Brasil

Em Altamira é possível fazer doação de órgãos no Hospital Regional Público da Transamazônica.

Foto: Blog siddy souza
Todo mundo sabe que a doação de órgãos é um ato de solidariedade , quando um transplante é bem sucedido, uma vida é salva e pode devolver a alegria de uma pessoa que já esta há muito tempo na fila de espera por um órgão. Altamira Conta com uma comissão interior hospitalar de doações e transplantes de Órgãos, no Hospital Regional Público da Transamazônica.
O Brasil é o segundo maior país do mundo em número de transplantes por ano. Mais de 90% desses transplantes são feitos pelo Sistema Único de Saúde o (SUS) e 80% resultam com sucesso.
Em Altamira o Hospital Regional possui um sistema de doação de órgão o CNCDO. O médico nefrologista Eduardo Anjos, do Hospital da cidade explicou a nossa equipe de reportagem que  para  doar não  é necessário deixar nada por escrito, mas sim comunicar a família.
O regional realiza campanhas desde de 2008 na cidade e  passa para população informações sobre doenças renais ,hipertensões e diabetes, uma forma de prevenir as pessoas para  que um dia não venham a terem a necessidade  de uma doação .
O CNCDO trabalha em parceria com as CIHDOTes  dos hospitais no processo de captações de órgãos e  orientando as famílias   levando informações nas escolas. Devido a falta de recursos tecnológicos existe uma parceria com a SESPA para receber um apoio com novos computadores  
Um trabalho realizado pelos  Psicólogos do hospital e  voluntários levam  alegria para os doentes.
Foto: Blog siddy souza
Em meio a dezenas de pessoas que estão aguardando por um transplante, está dona Maria Olinda que  espera receber  uma doação de órgão desde de 2007   .
Apesar das dificuldades com a saúde, dona Olinda transmite alegria á todos e tem fé  de receber o órgão.
Por:  Geane Cerqueira e  Sidalécio Souza

Produtor rural de Brasil Novo aborda equipe de reportagem do SBT de Altamira e denuncia Hospital São Rafael.


Foto: Blog siddy souza
 Durante a produção de uma reportagem dentro de um supermercado de Altamira, nossa equipe de jornalismo foi procurada por um idoso que resolveu denunciar o mau atendimento no hospital São Rafael.

O produtor rural Daniel Cardoso Moraes, têm 65 anos, ele é de Brasil Novo. Após ter sofrido um acidente de trabalho o mesmo diz ter procurado atendimento no hospital municipal São Rafael para possíveis procedimentos, mas até o momento não conseguiu resolver o problema.

Foto: Blog siddy souza
Com a mão esquerda machucada, o idoso chegou a fazer raio x no hospital e esperou ser chamado pela equipe médica da unidade, o procedimento foi realizado no dia 10 de maio e até hoje o hospital não conseguiu realizar uma cirurgia no paciente ou dá um diagnostico com mais precisão.

Outro lado: No hospital municipal ninguém quis se pronunciar sobre o assunto, mas por telefone o atendente nos informou que toda ou qualquer denúncia deve ser levada primeiro a direção da unidade de saúde.
 Comentário de Sidalécio Souza(Comunicador da Rede de Rádio e TV Vale do Xingu):
A direção do hospital são Rafael talvez esteja cansada de saber que as denúncias apresentadas pela imprensa, já não são novidades, inclusive já são de conhecimento do ministério público federal e estadual, quando não apresentadas pelas próprias autoridades. A questão não é APRESENTAR a denúncia, a questão é RESOLVER os problemas dos pacientes, quando a competência é do hospital, se por ventura as providências não são tomadas o jeito é o cidadão recorrer à justiça que também conhece a dura realidade da saúde pública do município.

Por:  Sidalécio Souza e José Ribamar