quarta-feira, 31 de julho de 2019

IML LIBERA 21 DOS 58 CORPOS DE VÍTIMAS DO MASSACRE NO PRESÍDIO DE ALTAMIRA, NO PARÁ

Na terça-feira (30), 15 primeiros corpos foram identificados e liberados. Peritos trabalham para identificar os corpos carbonizados.

O Instituto Médico Legal (IML) liberou, nesta quarta-feira (31), mais seis corpos de vítimas do massacre que deixou 58 pessoas mortas no Centro de Recuperação Regional de Altamira, sudoeste do Pará. Os 15 primeiros corpos forma liberados na terça-feira (30 de julho). Os 21 corpos estão sendo armazenados em uma câmara frigorífica devido ao pouco espaço nas instalações do IML no município. A 58ª vítima foi encontrada carbonizada nos escombros do presídio na noite de terça.
Os mortos foram identificados como Efraim Mota Ferreira, 22 anos; Luilson da Silva Sena, 35 anos; Wesley Marques Bezerra, 21 anos; Adriano Moreira de Lima, 21 anos; Ismael Souza Veiga, 37 anos; Carlos Reis Araújo 23 anos; Jelvane de Sousa Lima, 35 anos; Josivan Irineu Gomes, 25 anos; Marcos Saboia de Lima, 28 anos; Rivaldo Lobo dos Santos, 20 anos; Josivan Jesus Lima; Evair Oliveira Brito; Deiwson Mendes Correa; Natanael Silva do Nascimento; Renan da Silva Souza; Cleomar Silva Henrique; Deusivan da Silva Soares; Eliesio da Silva Sousa; Josicley Barth Portugal; Valdecio Santos Viana; João Pedro Pereira dos Santos.
O IML informou, ainda que os peritos envolvidos no trabalho são médicos legistas lotados na Unidade Regional do Centro de Perícias Científicas de Altamira, com apoio de auxiliares técnicos, sendo seis médicos atuando nos exames necroscópicos. Os procedimentos foram encerrados às 18h30 de terça (30) e foram retomados às 6h30 desta quarta (31/07).
Ainda segundo o IML, peritos odontologistas forense e uma equipe de peritos criminais do Laboratório Genética Forense, do Instituto de Criminalística (IC) de Belém, foram enviados, pela tarde, para a realização de exames de DNA para a identificação dos corpos.
Na segunda-feira (29), detentos foram assassinados durante um confronto entre facções criminosas dentro do presídio. Líderes do Comando Classe A (CCA) incendiaram cela onde estavam internos do Comando Vermelho (CV). No local, 41 detentos morreram asfixiados e 16 foram decapitados, segundo a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe).
Na terça, começaram a ser transferido para presídios federais oito líderes de facção, que estavam no presídio de Altamira. Outros oito estão sendo levados para ficar em isolamento e unidades prisionais de Belém, capital paraense. Mais 30 detentos serão distribuídos por cinco outras prisões do Estado.
As transferências, que iniciaram por volta das 9h30, devem ser concluídas até quarta-feira (31).
“O objetivo é tirar do mesmo ambiente as facções rivais. Já foram identificados e serão responsabilizados alguns dos envolvidos nas mortes. O policiamento na região de Altamira será reforçado, e também nas casas penais de Belém, onde faremos uma redistribuição dos internos como medida de segurança”, informou o titular da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado.
Pedido de força-tarefa federal
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, autorizou nesta terça-feira (30) a atuação da Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) no Pará pelo período de 30 dias. De acordo com o Ministério da Justiça, a portaria será publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (31).
A decisão atendeu ao pedido do governador do Pará, Helder Barbalho, que solicitou ao menos 40 integrantes da FTIP para atuarem em atividades de guarda, vigilância e custódia de presos. De acordo com o governo do Pará, 10 agentes devem chegar no estado nesta quarta-feira.
Novas casas penais
Após o massacre e as informações divulgadas pelo relatório do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que apontam superlotação no presídio, o governo anunciou a ampliação das casas penais.
A conclusão do presídio no município de Vitória do Xingu, também na região de Altamira, terá capacidade para 306 presos adultos e 200 mulheres no regime fechado, além de 200 internos do regime semiaberto.
Segundo Helder Barbalho, a Norte Energia, empresa responsável pela construção do presídio — como obra de compensação ambiental da Usina Hidrelétrica de Belo Monte — garantiu que a unidade prisional será entregue em 60 dias.
Na manhã desta terça-feira (30), o Ministério Público do Pará disse em nota que cobra a conclusão de obras no presídio desde 2017. Em setembro de 2018, uma rebelião na mesma unidade prisional deixou toda a área do semiaberto destruída pelo fogo. Segundo o MP, a área ainda não foi reformada.
A promotoria de Altamira instaurou um inquérito civil para apurar a paralisação das obras do presídio e acelerar a sua conclusão junto aos órgãos responsáveis, incluindo a empresa Norte Energia, responsável pela construção.
Fonte: G1/PA

VEJA QUEM SÃO OS QUATRO DETENTOS MORTOS NA TRANSFERÊNCIA DE ALTAMIRA PARA BELÉM


Os quatro detentos mortos na transferência de Altamira para Belém foram identificados inicialmente como: José Ítalo Meirelles, Valdenildo Moreira Mendes, Dhenison de Sousa Ferreira e Werik de Sousa Lima. A informação é do jornal O Globo.
Até o momento não houve confirmação oficial. Em nota a assessoria do Governo do Pará informou que neste momento “nenhum representante do Governo do Estado dará entrevistas à imprensa, pois o caso ainda está em fase de apuração. Inclusive pedimos a compreensão de todos os colegas que estão cobrindo o caso em Marabá e informamos que o acesso aos espaços que estão sendo visitados pelo superintendente da Susipe e pelo delegado geral está fechado, por conta do trabalho da perícia. Este serviço não pode sofrer interferências. “
Na última nota divulgada, a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) informou que ao chegar em Marabá, os agentes encontraram quatro presos mortos por sufocamento em duas celas do caminhão. Ainda segundo a Segup, durante o transporte, estavam algemados, divididos em quatro celas. 
Os quatro que morreram seriam do Comando Classe A (CCA).

Por: Mayara Freire

Detentos morrem em transferência e sobe para 62 vítimas de massacre

A equipe do Confirma Notícias apurou que quatro detentos foram mortos durante viagem de um caminhão cela que conduzia 30 presos de Altamira (PA) para Belém, capital do Estado. As mortes foram percebidas na cidade de Marabá.
Os detentos começaram a ser transferidos na tarde de terça-feira (30), do Centro de Recuperação Regional de Altamira para outros presídios do Pará. Com isso o número de mortos subiu de 58 para 62.
Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) as mortes aconteceram durante o transporte, entre Novo Repartimento e Marabá. Os presos eram da mesma facção e viviam juntos nas mesmas celas. Foram comparsas na execução da rebelião. Durante o transporte, estavam algemados, divididos em quatro celas. A capacidade das celas era para até 40 presos, 30 eram transportados. O Estado não possui caminhão com celas individuais.
A ação criminosa ocorreu entre 19 horas e 1 hora da manhã. Ao chegar a Marabá, os agentes encontraram quatro presos mortos por sufocamento em duas celas. Todos os 26 presos remanescentes serão colocados em isolamento. As razões deste fato lamentável estão sendo investigadas.
Os detentos começaram a ser transferidos na tarde de terça-feira (30), do Centro de Recuperação Regional de Altamira para outros presídios do Pará. Com isso o número de mortos subiu de 58 para 62.
O comboio deve permanecer em Marabá até que todos sejam ouvidos.

Entenda o caso

O Instituto Médico Legal (IML) confirmou ontem o aumento do número de mortos de 57 para 58 detentos. Um corpo foi encontrado carbonizado no início da noite por peritos sob os escombros do presídio e ainda não foi identificado.
Entenda o caso

Um grupo de detentos ateou fogo na penitenciária de Altamira, nesta segunda-feira (29). A ação foi provocada pela briga entre organizações criminosas. A rebelião teve início por volta das 7 horas, quando internos do bloco A, onde estão custodiados presos de uma organização criminal, invadiram o anexo onde estão internos de um grupo rival. Alguns destes foram mortos.
No início da tarde desta segunda-feira (29) Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) havia confirmado a morte de 52 detentos. Durante a tarde o número passou pra 57, e na terça-feira chegou a 58 confirmados. Desses, 16 foram decapitados e os outros teriam morrido por asfixia, em um incêndio iniciado pelos internos. As únicas armas encontradas, até o momento, foram “estoques”, que são facas artesanais.
Nome das vítimas
  1. Adriano Moreira de Lima
  2. Bruno Wesley de Assis Lima
  3. Carlos Reis Araújo
  4. Deiwson Mendes Corrêa
  5. DeusIvan da Silva Soares
  6. Efrain Mota Ferreira
  7. Eliésio da Silva Souza
  8. Ismael Souza Veiga
  9. Jelvane de Sousa Lima
  10. João Pedro Pereira dos Santos
  11. Josivan Irineu Gomes
  12. Nathan Nael Furtado
  13. Natanael Silva do Nascimento
  14. Rivaldo Lobo dos Santos
  15. Evair Oliveira Brito
  16. Gilmar Pereira de Sousa
  17. Ademilson Bezerra dos Santos
  18. Ailton Saraiva paixão
  19. Alan kart Rodrigues
  20. Alan Patrick dos Santos Pereira
  21. Alessandro Silva Lima
  22. Amilton Oliveira Camera
  23. Anderson dos Santos Oliveira
  24. Anderson Nascimento Sousa
  25. André Carlos Sousa Patrício
  26. Bruno Rogério Andrade
  27. Cleomar Silva Henrique
  28. Clevacio Soares Queiroz
  29. Diego Aguiar Figueiredo
  30. Diego Walison Souza Reis
  31. Diogo Xavier da Silva
  32. Domingos Fernandes Castro da Silva
  33. Douglas Gonçalves Viana
  34. Édson Costa de Macedo
  35. DeliMarques Teixeira pontes
  36. Francisco Claudizio da Silva Ferreira
  37. Geidson da Silva Monteiro
  38. Hugo Vinicius Carvalho
  39. Itamar Anselmo Pinheiro
  40. Jeová Assunção da Silva
  41. João Nilson Felicidade Farias
  42. José Brandão Barbosa Filho
  43. José Francisco Gomes Filho
  44. Josivan Jesus Lima
  45. Josiclay Barth Portugal
  46. Josué Ferreira da Silva
  47. Júnior da Silva Santos
  48. Kawe Reis Barbosa
  49. Leonardo Dias Oliveira
  50. Luilson da Silva Sena
  51. Marcos Sabóia de Lima
  52. Renan da Silva Souza
  53. Rogério Pereira de Sousa
  54. Sandro Alves Gonçalves
  55. ValDécio Santos Viana
  56. Vanildo de Souza Guedes
  57. Wesley Marques Bezerra
Por: Leonardo Barros/ Mayara Freire

ATO DE APOIO A GLENN TEM VÍDEO DE MAIA EM DEFESA DO SIGILO DE FONTE

Milhares vão à sede da ABI no Rio para apoiar o jornalista americano e o site The Intercept, entre eles o músico Chico Buarque e o ator Wagner Moura
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), gravou um vídeo para ser exibido em ato a favor do jornalista Glenn Greenwald, editor do site The Intercept Brasil, na Associação Brasileira de Imprensa (ABI) na noite desta terça-feira, 30.
No vídeo, o deputado defende o sigilo de fonte do jornalista como uma dos pilares da liberdade de imprensa. O site, que revelou diálogos entre procuradores do Ministério Público Federal envolvidos na Operação Lava Jato e entre estes e o então juiz Sergio Moro, hoje ministro da Justiça, disse que recebeu o material de uma fonte anônima.
Após a prisão de quatro homens acusados de terem invadido o celular de Moro e outras autoridades, na semana passada, um dos detidos, Walter Degatti Neto, disse que, por meio da ex-deputada Manuela D´Ávila (PCdoB), conseguiu o contato de Glenn e repassou a ele o material – o site não confirma.
“Nos últimos dias, passamos a viver uma grande polêmica depois da prisão do tal hacker sobre a questão dos dados, de quem é a responsabilidade”, disse Maia no vídeo. “Tem uma questão primordial e é a base desse debate, que é o sigilo de fonte. No nosso país, Brasil democrático, estado democrático de direito, o sigilo da fonte é uma questão constitucional”, completou.
O presidente da Câmara defendeu que os detidos sejam investigados e, se forem culpados, punidos, mas completou. “Por outro lado, um agente público que vaza informações sigilosas que estão sob seu comando também comete um crime”.
Não ficou claro a quem se referia, mas tanto Moro quanto os procuradores da Lava Jato já foram acusados de permitir o vazamento de informações sigilosas. O ministro, especificamente, foi bastante criticado quando divulgou o grampo de uma conversa entre a então presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que havia sido obtido dentro de um processo judicial.
No final do vídeo, no entanto, Maia ponderou que sua manifestação não era a favor do editor do The Intercept. “Não é a favor do Glenn, mas da nossa liberdade de expressão”. Quando o vídeo do presidente da Câmara foi exibido, houve vaias e gritos de “golpista” no início – após pedido da mesa, a plateia se acalmou e, no final, houve também aplausos.
No ato da ABI, havia cerca de 3.000 pessoas (vídeo acima), entre os presentes no local dos discursos e os que se espalhavam pela calçada. Houve manifestação na rua a favor da liberdade de expressão e de Glenn Greenwald. Pouco antes do evento, também houve uma pequena concentração de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro protestando contra o jornalista (veja vídeo abaixo).

Entre os presentes no apoio a Glenn e ao site The Intercept Brasil, estavam celebridades como o músico Chico Buarque, o ator Wagner Moura, a atriz Camila Pitanga, o rapper Marcelo D2, o cineasta Silvio Tendler e políticos de partidos como PT, PSOL e PDT. Um deles, o deputado federal Glauber Braga (PSOL-RJ) foi saudado aos gritos de “juiz ladrão”, referência ao que ele disse ao ministro Sergio Moro durante uma audiência na Câmara.
O ator Wagner Moura discursa em evento na ABI, no Rio em defesa da liberdade de expressão e do jornalista americano Glenn Greenwald (Fernando Molica/VEJA)
Por: Fernando Molica e José Benedito da Silva
Fonte: VEJA

Medicilândia: Após assalto em Loja, Polícia Militar consegue prender dupla de assaltantes

As primeiras horas de trabalho para os colaboradores da Loja Gazin, em Medicilândia, foram tensas. Isso devido, dois assaltantes entraram na Loja que fica situado na Avenida dos Imigrantes, e anunciaram o assalto.
Os assaltantes fugiram levando objetos da loja, alguns objetos dos colaboradores e uma motocicleta de um funcionário. 
A Polícia Militar ao tomar conhecimento do fato, iniciou as buscas pelos assaltantes.  Logo recuperaram a Motocicleta levada pelos assaltantes.
Os policiais tiveram trabalho, tiveram que entrar na mata para tentar localizar os dois.
Por volta das 12h, em uma barreira na Rodovia Transamazônica, próximo ao KM 110, a polícia militar conseguiu abordar um indivíduo com atitudes suspeitas, e o mesmo confessou ter participado do crime. E levou os policiais até os demais objetos roubados.
A polícia continuou a busca pelo segundo suspeito e na hora da troca de viaturas da barreira, o segundo assaltante foi localizado.  Junto com ele mais produtos roubados.
Warney Basílio Lopes e Paulo HENRIQUE Souza da Rocha foram autuados em flagrante e estão à disposição da Polícia Civil, ambos são oriundos de Marabá, sendo que PAULO Henrique é ex presidiário. 
A Polícia devolveu para a Loja os produtos roubados, sendo : 62 Celulares, 03 Tablet, 01 Notebook, 01 Carregador portátil, 01 HD DDR, 03 Relógios, Carregadores de Celulares diversos e 117 reais em espécie.  
Apesar do susto, nenhum colaborar ficou ferido.  

Por : Edlene Gonçalves (Com imagens e informações da Polícia )

terça-feira, 30 de julho de 2019

MAIS QUATRO LÍDERES DE FACÇÕES CRIMINOSAS SÃO TRANSFERIDOS DE ALTAMIRA PARA BELÉM

Dos 16 chefes de facções, dez deles irão, posteriormente,
para o regime federal e os demais, nas
penitenciárias estaduais
Foto Ascom/Susipe

Os presos Robson da Silva Pereira, Samuel Pereira de Andrade, Cleone Cruz da Silva e Avilson Lopes de Abade Espíndola foram transferidos para Belém. Eles embarcaram no aeroporto de Altamira por volta das 18h. Com essa viagem, 16 líderes do movimento já foram identificados e transferidos de forma imediata para a capital paraense, após confronto no Centro Regional de Recuperação, ocorrido na segunda-feira (29).
Ainda no início desta noite, mais cinco detentos chegaram em Belém vindos de Altamira. São eles: Mauro Fernandes, Mateus Soares, José Albuquerque do Nascimento, Maciel de Deus Barroso e Dhon Leno Nunes Amaral.
Dos 16 chefes de facções, dez deles irão, posteriormente, para o regime federal e os demais serão redistribuídos nas penitenciárias estaduais. Outros 30 envolvidos já estão a caminho da capital paraense em um caminhão-cela, que saiu de Altamira, na tarde desta terça-feira (30).
Os trabalhos do Instituto Médico Legal (IML) no município serão interrompidos às 18h30, e retomados às 7h desta quarta-feira (31).
Já foram liberados dez corpos dos 57 mortos. Eles foram identificados como Efraim Mota Ferreira, 22 anos; Luilson da Silva Sena, 35 anos; Wesley Marques Bezerra, 21 anos; Adriano Moreira de Lima, 21 anos; Ismael Souza Veiga, 37 anos; Carlos Reis Araújo, 23 anos; Jelvane de Sousa Lima, 35 anos; Josivan Irineu Gomes, 25 anos, Marcos Saboia de Lima, 28 anos; Rivaldo Lobo dos Santos, 20 anos.

Fonte: DOL

'VI A CABEÇA DO MEU FILHO NUM SACO PLÁSTICO', DIZ MÃE DE PRESO MORTO EM ALTAMIRA

Fonte: Reprodução

Sete corpos foram reconhecidos nesta terça-feira (30) entre os 57 mortos na rebelião em presídio de Altamira, no Pará, no dia anterior. 
O caminhão frigorífico de uma empresa que serviu para armazenar ao menos parte dos corpos saiu nesta madrugada do presídio e chegou ao IML de Altamira, onde se concentram familiares em busca de informação.
Nem o calor intenso fez as pessoas deixarem o local. Aglomeradas na frente do portão do prédio do IML, seguem esperando. 
"Nunca tinha perdido um filho. É muito difícil, eu não sei nem o que falar, para não dizer que eu não vi ele, eu só vi a cabeça dele dentro de um saco plástico, é muito triste perder um filho numa situação dessas", disse Francisca Moreira de Lima, mãe do Adriano Moreira de lima, um dos 16 internos que foram decapitados. 
Sem comer ou dormir, muitas pessoas começaram a passar mal, e precisaram ser atendidas pela equipe da secretaria de estado e saúde, com apoio do Exército, que montou uma tenda em frente ao prédio do IML. 
Grupos ligados a igrejas também dão apoio, e trazem apoio para quem ainda não conseguiu notícias. 
O trabalho de identificação dos corpos está no começo. Dos 57 mortos, sete já foram identificados, mas pelo menos 20 estão carbonizados, e precisarão ser identificados pela arcada dentária, ou exame de DNA, que leva entre 20 e 30 dias para serem liberados os resultados. 
Familiares quem não têm condições financeiras de sepultar os mortos estão sendo cadastrados pela Defensoria Pública do estado, para que sejam organizados o velório e o sepultamento coletivos. 
No meio da manhã, o bispo emérito do Xingu, Dom Erwin Krautler, chegou ao prédio do IML. Um dos símbolos na defesa dos direitos humanos na região do Xingu, Dom Erwin confortou as famílias, e criticou a falta de segurança dentro e fora dos presídios em todo o estado.
"Nossa região é notícia negativa mais uma vez, essa carnificina não poderia ter acontecido, nós não poderíamos ter permitido que a violência, esse descontrole chegasse a esse ponto, eu estou arrasado, as famílias estão destruídas, nossa cidade, nossa região, isso não poderia ter acontecido, até quando?".
Fonte: DOL

POLÍCIA CIVIL PRENDE ACUSADO DE APLICAVA GOLPES NA REGIÃO DA TRANSAMAZÔNICA

A Polícia Civil do Pará cumpriu, nesta segunda-feira (29), o mandado de prisão preventiva em nome de Wesley Marques Silva. O acusado foi preso por cometer o crime de estelionato. Após investigações, foi possível identificar o estabelecimento comercial, bem como o endereço que o mesmo estava residindo, situado no município de Maracanaú no Ceará. Wesley mantinha o status de empresário, nesta feita no ramo de madeireira. A prisão do acusado ocorreu na Av. Padre José Holanda do Vale, Bairro Luzardo Viana, no município de Maracanaú no Ceará.
O mandado de prisão foi expedido pela Comarca de Medicilândia no Pará. A ação foi realizada pela Delegacia de Conflitos Agrários e a Delegacia de Homicídios de Altamira, sob coordenação do delegado Lucas Luz, e contou com apoio da Delegacia Metropolitana de Maracanaú no Ceará, sob comando do delegado Regyslario Pessoa e do Inspetor Márcio Freire.
Segundo o delegado Lucas Luz, da DECA de Altamira, Wesley era responsável pela empresa “Cerealista Wesley Cacau”, onde vinha praticando a conduta de comprar quantidades variadas de sacas de sementes de Cacau de diversos produtores locais, e que ao receber as sacas, fazia apenas um pequeno pagamento ou, como se comprovou, nenhuma contra-prestação ao produtor, que recebia apenas uma nota com a promessa de pagamento, explica.
Segundo o delegado, após os golpes, Wesley fechou seus estabelecimentos comerciais, tanto na cidade de Medicilândia, como na cidade de Anapu no Pará. “O acusado aplicou golpe de cerca de 150 mil reais”, finaliza.
Wesley encontra-se recolhido na Delegacia de Maracanaú/CE, aguardando autorização judicial para a transferência ao município de Medicilândia no Pará. Diante desses fatos foi representado pela prisão preventiva do suspeito por razões de ordem pública, instrução processual e aplicação da lei penal.
Fonte: Polícia Civil do Pará

MASSACRE EM ALTAMIRA: FAMÍLIAS ACAMPAM EM FRENTE AO IML EM ALTAMIRA; ASSISTA

Desde o início da tarde de segunda-feira (29) familiares aguardavam por notícias em frente ao Centro De Perícias Científicas Renato Chaves. A via foi interditada pelo Demutran. A todo o momento, carros com profissionais chegavam para fazer o trabalho de perícia. No final da tarde, quando a lista oficial foi divulgada e os nomes confirmados, familiares dos detentos mortos entraram em desespero.
Uma mulher desmaiou e teve que ser levada às pressas para Unidade de Pronto Atendimento – UPA, por um carro particular. O IML em Altamira atualmente possui apenas 6 câmaras refrigeradoras e segundo informações dos próprios peritos, o órgão não tem estrutura para receber tantos corpos.
Um caminhão refrigerador é quem vai dando suporte para o andamento dos trabalhos e garantir a conservação dos corpos. Tendas foram montadas na via com atendimento médico e psicológico para os parentes que aguardam o reconhecimento dos corpos. Socorristas do Samu também dão apoio, além de grupos solidários que disponibilizam água e comida.
A cada reconhecimento os familiares são amparados por assistentes sociais. A Secretaria De Saúde do Estado – Sespa, com apoio da prefeitura de Altamira estão dando suporte.
Veja reportagem
Assista ao vídeo

PREFEITO ALEXANDRE LUNELLI SE COMPROMETEU EM RECUPERAR OS RAMAIS DA VICINAL 14 E 16 NAS PRÓXIMAS SEMANAS


O prefeito municipal, Alexandre Lunelli recebeu na última sexta-feira (26), os moradores das comunidades rurais,  acompanhados do vereador Eitor Zanelato, em seu gabinete.
Eles foram solicitar a recuperação de alguns trechos de dois ramais; Ramal do Chicão e Ramal do Trecho do Amor, localizados entre as vicinais 14 e 16.
O prefeito explicou que assim que houver máquinas disponíveis a recuperação será iniciada nesses dois locais. Segundo ele, atualmente o maquinário encontra-se em atividades nas vicinais 12, 20, 10 (Capembas) e 75-Sul.

Por: Tadeu Covre 
Fotos Luis Henrique Silveira
Fonte: ASCOM/PMBN 

PREFEITO ALEXANDRE E SECRETÁRIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VISTORIAM REFORMA DE ESCOLA NO BAIRRO DA TORRE


O prefeito Alexandre Lunelli esteve nesta segunda-feira, 29, juntamente com a Secretária Municipal de Educação, Marinete Mardegan, na Escola Municipal Monteiro Lobato, no Bairro da Torre.
A Escola recebeu uma nova pintura e já está pronta para receber os alunos, neste segundo semestre, que terá início no próximo dia 05 de agosto. Nos dias 1 e 2 os professores estarão participando de um curso de formação.
Ainda segundo Marinete Mardegan, as Escolas Padre Leo Schineider, Bairro Cidade Alta, Escola Paraíso, Cidade Nova e Escola Brasil Novo também estão sendo pintadas. As obras devem ser concluídas ainda esta semana.

Por Tadeu Covre
Fotos Luis Henrique Silveira
Fonte: ASCOM/PMBN

ENVOLVIDOS EM MASSACRE EM ALTAMIRA SERÃO TRANSFERIDOS PARA PRESÍDIOS FEDERAIS

Governador e Ministro já têm plano de ação (Ed Ferreira/AE)

O Estado trabalha para identificar os líderes das duas facções criminosas envolvidas no confronto que resultou na morte de 52 presos no Centro de Recuperação Regional de Altamira, ocorrido na manhã desta segunda-feira (29). Ficou definido, em tratativa do governador Helder Barbalho com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que os responsáveis serão transferidos para presídios federais. Dez vagas estão destinadas para receber os criminosos.
Representantes dos órgãos de segurança pública do Pará seguiram para Altamira, no sudoeste do Pará, no início desta tarde, para acompanhar de perto as investigações. A Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) confirmou que os crimes foram resultado de um confronto entre duas facções criminosas que disputam território dentro da unidade prisional, Comando Classe A (CCA) e Comando Vermelho (CV).
Os líderes do CCA colocaram fogo em uma cela que pertence a um dos pavilhões do presídio, onde ficavam integrantes do CV. De acordo com o superintendente da Susipe, Jarbas Vasconcelos, devido à unidade ser mais antiga, construída de forma adaptada a partir de um contâiner, com alvenaria, o fogo se alastrou rapidamente e alguns dos internos morreram por asfixia. Nenhum servidor do órgão foi morto.
“Foi um ato dirigido. Os presos chegaram a fazer dois agentes reféns, mas logo foram libertados, porque o objetivo era mostrar que se tratava de um acerto de contas entre as duas facções, e não um protesto ou rebelião dirigido ao sistema prisional”, afirmou Jarbas Vasconcelos. Não foram encontradas armas de fogo, apenas estoques – facas improvisadas com material precário.
Ainda de acordo com a Susipe, nenhum relatório da inteligência do órgão reportou o ataque e que brigas entre facções ocorrem no sistema prisional, por isso, presos são transferidos diariamente. “Temos protocolos para a maioria dos casos, mas neste específico, não tínhamos informações sobre um ataque dessa magnitude”, destacou.
Seguiram com o superintendente da Susipe para o município o titular da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), Ualame Machado; o comandante geral da Polícia Militar, coronel Dilson Júnior; e o delegado geral de Polícia Civil, Alberto Teixeira.
Presídio
Em Altamira, o Centro de Recuperação Regional abriga 311 presos. “Não há superlotação carcerária na unidade, mas estamos aguardando a entrega de uma nova prisão pela Norte Energia, que deve ficar pronta até dezembro. Os contâiners não são improvisados, existem há algum tempo, mas com a entrega do noxo complexo como compensação ambiental da empresa, teremos capacidade para 306 internos e ainda uma unidade feminina. Esperamos, assim, ter um espaço mais seguro e moderno na região da Transamazônica”, pontuou.
Em agosto, 485 novos agentes prisionais serão nomeados pela Susipe, os primeiros concursados da história do órgão. Os novos servidores poderão portar armas, o que Jarbas acredita que será uma importante mudança no panorama da gestão dos presídios do Estado do Pará.
Confronto
O incidente aconteceu no início da manhã, por volta de 7h, na hora da destranca. A ação e o fogo foram contidos logo cedo e os envolvidos estão no pátio da unidade prisional. Entre os mortos, 16 presos foram encontrados decapitados. Dos asfixiados, ainda não foi possível remover todos os corpos devido à unidade ser parte de um contâiner, ou seja, as dependências ainda estão quentes por conta do incêndio causado pelos internos.
Fonte: Agência Pará

BRIGA ENTRE FACÇÕES RIVAIS DEIXA AO MENOS 57 MORTOS EM ALTAMIRA

Uma briga entre facções criminosas rivais teria sido o motivo para o início do motim. Segundo informações da polícia, 16 foram decapitados

Ao menos 57 detentos morreram nesta segunda-feira (29/07/2019) em decorrência de uma rebelião no Centro de Recuperação Regional de Altamira, no sudoeste do estado do Pará. O motim teve início por volta das 7h devido a uma briga entre facções criminosas rivais, o Comando Classe A (CCA) e o Comando Vermelho (CV). Dois agentes penitenciários foram mantidos reféns, mas liberados após negociações.
Segundo o Gabinete de Gestão da Segurança Pública do Pará, foram confirmados 57 detentos mortos, sendo que 16 foram decapitados. O restante morreu por asfixia.
Dez dos 16 identificados como líderes das facções criminosas que comandaram o ato irão para o regime federal, conforme tratativas realizadas entre o governador Helder Barbalho e Moro. O restante será redistribuído pelos presídios do estado.
O motim começou no Bloco A do presídio de Altamira, onde estão os presos de uma organização criminosa. Um grupo rival invadiu o anexo.
Nota Susipe
A Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará divulgou uma lista preliminar das vítimas da briga de facções que aconteceu nesta segunda-feira (29) no Centro de Recuperação Regional de Altamira.
Relação de óbitos confirmados
Adriano Moreira de Lima
Bruno Wesley de Assis Lima
Carlos Reis Araújo
Deiwson Mendes Corrêa
DeusIvan da Silva Soares
Efrain Mota Ferreira
Eliésio da Silva Souza
Ismael Souza Veiga
Jelvane de Sousa Lima
João Pedro Pereira dos Santos
Josivan Irineu Gomes
Nathan Nael Furtado
Natanael Silva do Nascimento
Rivaldo Lobo dos Santos
Evair Oliveira Brito
Gilmar Pereira de Sousa
Relação de prováveis mortes
Ademilson Bezerra dos Santos
Ailton Saraiva paixão
Alan kart Rodrigues
Alan Patrick dos Santos Pereira
Alessandro Silva Lima
Amilton Oliveira Camera
Anderson dos Santos Oliveira
Anderson Nascimento Sousa
André Carlos Sousa Patrício
Bruno Rogério Andrade
Cleomar Silva Henrique
Clevacio Soares Queiroz
Diego Aguiar Figueiredo
Diego Walison Souza Reis
Diogo Xavier da Silva
Domingos Fernandes Castro da Silva
Douglas Gonçalves Viana
Édson Costa de Macedo
DeliMarques Teixeira pontes
Francisco Claudizio da Silva Ferreira
Geidson da Silva Monteiro
Hugo Vinicius Carvalho
Itamar Anselmo Pinheiro
Jeová Assunção da Silva
João Nilson Felicidade Farias
José Brandão Barbosa Filho
José Francisco Gomes Filho
Josivan Jesus Lima
Josiclay Barth Portugal
Josué Ferreira da Silva
Júnior da Silva Santos
Kawe Reis Barbosa
Leonardo Dias Oliveira
Luilson da Silva Sena
Marcos Sabóia de Lima
Renan da Silva Souza
Rogério Pereira de Sousa
Sandro Alves Gonçalves
ValDécio Santos Viana
Vanildo de Souza Guedes
Wesley Marques Bezerra