quinta-feira, 31 de maio de 2012

APENDICITE MATA PROFESSORA DO BAIRRO CIDADE ALTA.

Maria Auxiliadora do Nascimento, chamada carinhosamente  pelos amigos como “CILINHA”, de 27 de idade, morreu nesta quarta-feira (30) vítima de uma Apendicite.

Segundo informações da família Maria Auxiliadora já vinha sentido os sintomas há aproximadamente 10 dias. A família informou também que ela ela procurou atendimento no Hospital Natá Harraes aqui em Brasil Novo, onde recebeu medicação para aliviar as dores e mandada de volta para casa. Daí em diante o quadro foi se agravando ainda mais. Somente no sétimo dia de busca pelo atendimento médico é que foi internada e passou por uma Ultrassonografia. O resultado do diagnóstico dado após a ultrsonografia era de ela estaria com uma forte inflamação renal e que parte do intestino não estava funcionando.

Na terça-feira o quadro se agravou e por volta da meia noite a Maria Auxiliadora foi encaminhada para o Hospital São Rafael em Altamira onde detectaram que tratava-se de Apendicite e imediatamente foi tranferida ao Hospital Regional da Transamazônica em Altamira. Lá a professora foi submetida ao prcesso cirúrgico mais não rexistiu e faleceu por volta daas 10:00 horas da manhã de quarta-feira .

Natural de Serrita no estado de Prenambuco, Maria Auxiliadora do Nascimento morava no Bairro Cidade Alta há 19 anos, e começava a trabalhar como educadora na Escola Padre Léo Schineider no Programa Brasil Alfabetizadio.



Por: Valdemídio Silva
www.rpopularfm.com.br

Fotos//Album da Família

Depois das negativas de fiscalização, MPF quer saber condições do financiamento de Belo Monte

Banco Central e Superintendência de Previdência Complementar receberam solicitação para fiscalizar o financiamento do BNDES e os investimentos de fundos de pensão, mas recusaram
O Ministério Público Federal no Pará enviou questionamentos em maio ao Banco Central (Bacen), à Superintendência de Previdência Complementar (Previc), ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e à Norte Energia S.A (Nesa) sobre as condições detalhadas do financiamento público e dos investimentos dos fundos de pensão na usina hidrelétrica de Belo Monte. Recentemente, a Nesa anunciou para junho a confirmação do financiamento pelo BNDES.

O MPF quer saber, do BNDES e da Nesa, exatamente qual o arranjo financeiro alcançado e a classificação de risco do empréstimo. À Previc, o MPF pediu uma análise sobre a política de investimento em Belo Monte feita pelos fundos Petros, dos funcionários da Petrobrás, e Funcef, dos economiários federais. A decisão dos fundos de fazer investimento na usina é da época do leilão (abril de 2010) e na época o custo da usina era de R$ 19 billhões. Em 2011, passou a ser de R$ 30 bilhões.

O MPF questiona se a política de investimento dos fundos de pensão foi planejada com base no cenário inicial, de R$ 19 bi, ou se foi levado em conta o custo atual. “Caso tenha sido feita a análise com o custo da obra em R$ 30 bi, requisitamos que informe a rentabilidade esperada em números absolutos e comparativamente à projeção no primeiro cenário”, diz o questionamento enviado à Previc e aos fundos de pensão.

Pela legislação que regulamenta a previdência complementar, os investimentos feitos com o dinheiro dos fundos precisam alcançar níveis satisfatórios de rentabilidade, para que seja assegurado o retorno aos pensionistas. Como os custos de Belo Monte foram reajustados em mais de 50% menos de 2 anos depois do leilão, o MPF teme prejuízos aos fundos que estão investindo na usina.

Entre os fundos, o Petros já respondeu os questionamentos do MPF, informando que os investimentos foram analisados por consultorias que calcularam o potencial de geração de caixa de Belo Monte. Mas não informou se os cálculos foram feitos com base em R$ 19 bilhões ou R$ 30 bilhões.

As preocupações do MPF com os empréstimos do BNDES e os investimentos dos fundos em Belo Monte já foram traduzidas em dois pedidos de fiscalização, mas as instituições do sistema financeiro procuradas se recusaram a fazer as fiscalizações alegando problemas de planejamento.

O primeiro pedido foi recusado pelo Banco Central, para que fiscalizasse o empréstimo do BNDES para o consórcio construtor da usina. A segunda recusa foi da Previc. As duas instituições recusaram com base na mesma alegação: os cronogramas de fiscalização estariam fechados e não poderiam ser alterados.

Por: MPF

Incra publica novas regras sobre reforma agrária

A ocupação de áreas situadas em assentamentos da reforma agrária está mais simples, a partir de hoje (30). Os pedidos de regularização poderão ser decididos nas próprias superintendências regionais do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e a comunidade assentada poderá se manifestar para embasar a decisão. Se o interessado não ficar satisfeito com o julgamento, poderá recorrer a uma segunda instância, o Comitê de Decisão Regional (CRD).
Os procedimentos relacionados à venda de lotes, por exemplo, acabavam por dificultar e impedir o acesso de famílias. A venda de lotes era prática irregular. A partir de agora, o beneficiário terá a chance de adquirir ou permanecer no lote ocupado sem autorização do Incra, desde que atenda a alguns requisitos. Um deles é que a emissão do título ou contrato feito com o primeiro assentado no local tenha mais de dez anos.

As normas foram publicadas pelo Incra no Diário Oficial da União de hoje (30). Elas foram elaboradas por um grupo de trabalho criado em dezembro do ano passado. De acordo com um dos integrantes, o procurador federal Carlos Valadares Júnior, a ideia foi elaborar um documento totalmente novo, para separar o pequeno trabalhador rural do especulador, do grileiro.

A abertura de prazo para consulta aos servidores do Incra rendeu contribuições de 25 superintendências regionais. Em abril deste ano, a minuta foi entregue e, após ser submetida à Procuradoria Federal Especializada e à Diretoria de Desenvolvimento de Projetos de Assentamento, teve o texto aperfeiçoado e aprovado pelo Conselho Diretor.

A instrução normativa também trata das ações e medidas a serem adotadas pelo Incra nos casos de constatação de irregularidades em projetos de assentamento de reforma agrária.
Fonte//Agência Brasil

MP denuncia mãe que jogou bebê no poço em Uruará‏

O Ministério Público de Uruará, por meio do promotor de justiça Arlindo Jorge Cabral Junior, ofereceu denúncia contra Cristiane Santos Fantin, acusada de jogar o próprio filho recém nascido num poço, provocando sua morte. O caso ganhou repercussão pelo fato de, antes de confessar o crime, a mulher ter afirmado que a criança havia sido sequestrada. A denúncia foi recebida pelo juiz da comarca.
Cristiane foi denunciada pelos crimes de homicídio por motivo fútil, com uso de meio cruel, ocultação de cadáver e falsa comunicação de crime. A promotoria pediu a instauração da ação penal, e que a ré seja pronunciada e submetida ao tribunal do júri.

No dia 25 de abril deste ano a acusada denunciou o suposto seqüestro de seu filho, nascido no dia anterior. Cristiane relatou que no momento de falta de energia na cidade, o bebê havia sumido. A polícia de Uruará foi mobilizada para descobrir o paradeiro da criança, inclusive com deslocamentos para municípios vizinhos.

Contudo, relata o MP, no dia 28 de abril, o proprietário da casa onde a mãe do menino estava hospedada notou um forte odor oriundo do poço da residência, de cerca de 20 metros de profundidade. O local foi verificado, sendo encontrado o corpo do recém nascido.

Questionada, a mãe confessou o crime, afirmando que se aproveitou de um momento de distração da pessoa que a acompanhava para jogar o filho. O motivo teria sido a não aceitação da gravidez pelo pai da criança. Relatou ainda que já havia tentado abortar o bebê meses antes do nascimento.

O promotor ressalta na denúncia a inexistência de alegação de crime cometido pela condição do estado puerperal, que pode causar perda de razão, seguido de quadro característico de distúrbio hormonal, o que não ocorreu com a denunciada, de acordo com laudo psicológico apresentado.

Ao contrário do quadro causado pela depressão pós-parto, a promotoria afirma que, de acordo com os relatos, os crimes foram planejados com vários meses de antecedência e que a “denunciada demonstrou, a todo momento, saber exatamente o que fez e como fez, relatando com frieza todos os detalhes dos crimes perpetrados”, diz a denúncia.


Fonte: MP

domingo, 27 de maio de 2012

51º BIS REALIZA FORMATURA COMEMORATIVA AO DIA DA ARMA DE INFANTARIA

O 51º Batalhão de Infantaria de Selva realizou na quinta-feira (24) a formatura em comemoração ao Dia da Arma de Infantaria. Na oportunidade, os militares do efetivo variável incorporados no corrente ano receberam a boina camuflada. A solenidade foi abrilhantada com a grande presença de representantes dos órgãos federais, estaduais e municipais, além dos familiares dos militares.
O Dia da Arma de Infantaria, comemorado no dia 24 de maio, foi escolhido na data de aniversário do Patrono da Infantaria Brasileira, General-de-Brigada Antônio Sampaio, que nasceu no município cearense de Tamboril, em 24 de maio de 1810.
Menino nascido em casa humilde, em 24 de maio de 1810, experimentado na dureza do sertão, fisionomia circunspecta de caboclo cearense, pele curtida de sol, mente ágil e disciplinada, Antônio de Sampaio muito cedo deixou Tamboril – vila situada no interior do Ceará – para alistar-se em um batalhão de caçadores na cidade de Fortaleza. No Exército, aprendeu depressa o ofício da guerra, preparando-se para um destino que viria a ser construído em campos de batalha. Recebeu o batismo de fogo enfrentando rebeliões nas ruas. Travou combate contra os cabanos, os balaios, os farrapos e os praieiros na pacificação do Pará, Maranhão, Rio Grande do Sul e Pernambuco.
Esse intrépido nordestino organizou e comandou a famosa Divisão Encouraçada na Guerra da Tríplice Aliança. Com seus destemidos soldados, cruzou o rio Paraná, invadiu o território inimigo, lutou em Estero Bellaco. Dias depois, sua 3a Divisão de Infantaria empenhava-se na Batalha de Tuiuti, o maior confronto militar registrado na história da América do Sul. As forças aliadas conquistaram penosamente a vitória, mas Sampaio, ferido três vezes no transcurso dos combates, teve de ser substituído e transportado para Buenos Aires a bordo do barco Eponina. A gravidade dos ferimentos levou-o à morte. Tinha 56 anos.
Seus restos mortais foram repatriados inicialmente para o Rio de Janeiro e depois para o Ceará. Encontram-se, hoje, no Panteón edificado em frente ao Quartel-General da 10a Região Militar, em Fortaleza.

ALUNA AGRIDE DIRETORA EM ALTAMIRA

Diretora da escola
Diretora de uma escola publica de Altamira, foi agredida por uma aluna, indignada a funcionaria publica registrou queixa na policia.

Patrícia Rosa Vargens diretora da escola de Ensino Médio Polivalente de Altamira foi agredida da sala da secretaria, a estudante Andressa Sousa Mendes de 19 anos jogou ovos contra a diretora, a mãe da aluna Laudecir Sousa Mendes de 43 anos, teria começado a confusão, ela chegou a escola alegando que a filha estaria sendo discriminada, de acordo com os professores a aluna apresentava comportamento inadequado ao ambiente escolar a direção chamou a mãe da estudante para conversar sobre o problema a mãe chegou a sala de diretora já alterada e foi nesse momento que começou a confusão houve tumulto e a policia foi chamada para controlar a situaçã
Aluna faz gestos obscenos para a
equipe de reportagem

“Ela enfiou a Mao dentro de uma sacola eu imaginei que ela fosse puxar alguma arma, alguma coisa, mais não, ela tirou ovos de dentro da sacola, como vocês estão vendo estou toda melada de ovos ela me arremessou uma meia dúzia de ovos a secretaria ficou toda melada de ovo” disse a diretora.

A diretora, a estudante e a mãe prestaram depoimento na delegacia de Altamira, as acusadas foram liberadas. Segundo o delegado de policia a aluna vai responder tco por vias de fato, por jogar ovos na diretora e a mãe vai responder por desacato, pois a diretora é uma funcionaria publica na função.

Na saída da delegacia mãe e filha não quiseram falar sobre o caso a estudante chegou a fazer gestos obscenos para a equipe de reportagem.

Ainda chocada com o ato de violência a diretora espera justiça para o caso. “Se nos ficarmos calado eles vão passar por cima da gente como um trator, então é preciso que a gente fale que o professor tenha coragem de asumir toda melada de ovo na frente uma televisão que foi agredido sim que vamos buscar justiça e eu não vou parar “ finalizou a diretora.
 
 
O Liberal

Ibama finaliza plano de retirada de madeira de Belo Monte.

Objetivo é evitar comércio ilegal de madeira da Amazônia. Usina hidrelétrica é uma das principais obras do governo federal

Equipes do Ibama realizaram vistorias aéreas e terrestres nos canteiros da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, em Altamira, no sudoeste do Pará. A ação foi realizada na semana passada, e teve como objetivo definir o plano de fiscalização da retirada de madeira dos locais que serão alagados pela obra.

Através de vistorias aéreas e terrestres, o Ibama verificou as rotas de escoamento da madeira da região, para poder acompanhar de perto a saída deste material de acordo com a lei, garantindo que o produto chegue ao mercado.

Além disso, o órgão esclarece que irá realizar fiscalizações em toda a madeira que for extraída do lugar antes de gerar os créditos no sistema de Documento de Origem Florestal (DOF), do Governo Federal, e do Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais (Sisflora), do governo do Pará.

Com esta medida, o Ibama tenta evitar a retirada ilegal da madeira, além de impedir que os créditos gerados pelo produto cortado das áreas que serão afetadas pelo lago da usina sejam utilizados para esquentar o comércio ilegal de madeira no Pará. Para isto, serão feitas análises nas movimentações nos sistemas do DOF e no Sisflora.

"A ação completa de fiscalização, da retirada da madeira até seu consumo, é importante para garantirmos a legalidade da madeira extraída da área que será alagada na usina de Belo Monte", comentou o diretor de Proteção Ambiental do Ibama, Ramiro Martins-Costa.

Obra

A hidrelétrica ocupará parte da área de cinco municípios: Altamira, Anapu, Brasil Novo, Senador José Porfírio e Vitória do Xingu. Altamira é a mais desenvolvida dessas cidades e tem a maior população, quase 100 mil habitantes, segundo o IBGE. Os demais municípios têm entre 10 mil e 20 mil habitantes.

Belo Monte custará pelo menos R$ 25 bilhões, segundo a Norte Energia. Há estimativas de que o custo chegue a R$ 30 bilhões. Trata-se de uma das maiores obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), uma das principais bandeiras do governo federal.
Apesar de ter capacidade para gerar 11.200 MW de energia, Belo Monte não deve operar com essa potência. Segundo o governo, a potência máxima só pode ser obtida em tempo de cheia. Na seca, a geração pode ficar abaixo de 1.000 MW. A energia média assegurada é de 4.500 MW.

Para críticos da obra, o custo-benefício não compensa. O governo contesta diz que a geração menor evita um alagamento maior e que a energia é fundamental para o país.
 

(G1, 21/05/2012)

sábado, 26 de maio de 2012

FÓRUM RIO+20 FARÁ APRESENTAÇÃO COM PERSONAGEM DE BRASIL NOVO EM JUNHO


Um jovem de 15 anos, morador do Pontal, a cerca de seis horas de viagem do centro da Cidade de Brasil Novo, era conhecido por apenas Tatu, apelido dado pelo seu avô. O jovem tornou o principal personagem de um documentário que esta sendo preparado pelo Ministério de Desenvolvimento Social para ser exibido às Nações Unidas, durante o Fórum de Sustentabilidade Mundial Rio+20.
A História começou a ser conhecidamais profundamente durante a Operação Xingu Cidadania, um projeto do Governo Federal para desenvolver trabalhos de políticas públicas. Foi durante este evento que o jovem Tatu foi descoberto pela Equipe de Assistência Social de Brasil Novo que fez questão de buscá-lo. Na oportunidade, passou a se chamar Benedito Canela Flexa, nome escolhido por ele mesmo.
Pontal por se tratar de uma região muito distante, passou a ser uma das prioridades do governo. Durante uma das atividades desenvolvidas pelos profissionais de saúde naquela comunidade a Assistência Social de Brasil Novo se interessou pela história do jovem e não perdeu a oportunidade.
No planejamento em preparação ao evento, a Presidenta da república Dilma Rousseff foi informada da biografia de “TATU” e pediu que à assessoria de imprensa do Ministério preparasse um documentário em que a história do jovem, fosse evidenciada. Os contatos com a Secretaria de Assistência Social de Brasil Novo foram feitas imediatamente. Tudo foi providenciado para que Tatu fosse levado a Cidade de São Paulo acompanhada juntamente com a assistente Miriam Raquel Pedrone.
O fato curioso e que o jovem não tinha nenhum conhecimento com o setor urbano e tudo foi uma descoberta para ele. Antes da Viagem, Benedito passou por diversos treinamentos especiais de como se comportar, até mesmo como usar o banheiro.  
Benedito viajou no dia 09 de maio, fez viaje aérea, ficou em hotel de luxo e foi tratado como estrela por oito dias. Seu caso chamou a atenção da imprensa paulista eda nossa região que reverenciou o caso.
Depois de se encontrar com a Presidenta Dilma e gravado para o Documentário, Tatu, foi enviado de volta ao Pontal, agora cheio de esperança e feliz por fazer parte da sociedade com direito a um nome, agora BENEDITO CANELA FLEXA.
No mês de junho, o Brasil sediará a Rio+20, uma importante conferência da ONU que reunirá líderes de 193 estados do mundo todo para discutir meios de transformar o planeta em um lugar melhor para se viver. O evento será realizado no Rio de Janeiro, 20 anos depois da Eco92, por isso está sendo chamado de Rio+20.
Veja em breve, parte do documentário será postado no blog www.estudiocidadebrasilnovo.blogspot.com.br

Por Arildo Mardegan
Reportagem: Valdemídio Silva
Equipe Popular FM
Foto: Miriam Pedrone