sábado, 30 de junho de 2018

Nota de Esclarecimento da Secretaria Municipal de Saúde.

Sobre informações inverídicas repassadas por fontes “não seguras” á câmara de vereadores e divulgadas  durante a sessão do poder legislativo nesta sexta –feira (29), com tema  “Médico Dr. Carlos foi demitido em Brasil Novo”, a Secretaria Municipal de Saúde esclarece que o médico Carlos Alberto Barrachelo Ozório, não foi demitido. 
A pasta explica que, para assegurar um atendimento eficaz e necessário á sociedade, um conjunto de discussões entre profissionais da secretaria foram feitas para estabelecer algumas mudanças e conseqüentemente melhorar o atendimento na saúde publica. 
O Dr. Carlos Alberto assume a atenção básica,assim o profissional, vai atender somente com consulta médica especializada,dessa forma os munícipes ganham com o excelente trabalho que o Dr. desenvolve,além disso,o remanejamento permiti expandir a capacidade de atendimento no município.

Por: ASCOM/SMS

POLÍCIA CIVIL INVESTIGA POUSO FORÇADO DE AVIÃO EM ITAITUBA


A Polícia Civil investiga, em Itaituba, sudoeste paraense, o pouso forçado de um avião de pequeno porte, de prefixo PT IIU, realizado no rio Jamanxim, às proximidades do Distrito de Jardim de Ouro, região garimpeira do município. O fato teria ocorrido na última quarta-feira, dia 27, por volta de 17 horas, mas somente chegou ao conhecimento das autoridades policiais na madrugada de hoje (29), quando o boletim de ocorrência foi registrado na Seccional de Polícia de Itaituba. O piloto da aeronave, Sérgio Vanderlei Becker, foi detido, ontem à noite, no distrito de Moraes de Almeida, em Itaituba, por uma guarnição da Polícia Militar, no momento em que chegava à localidade como passageiro de mototáxi.
Ele foi inicialmente conduzido à Unidade Integrada de Polícia do distrito e depois levado para a Seccional de Polícia Civil de Itaituba, na sede do município, para prestar esclarecimentos, por volta de 23h50 de ontem. O fato chegou ao conhecimento do Destacamento da PM da região de Jardim de Ouro, por volta de 18 horas de ontem (28), quando pescadores foram até a Unidade da PM local perguntar se o piloto de um avião que teria caído no rio havia procurado ajuda no Posto Policial, o que não havia ocorrido. Assim, os policiais militares passaram a fazer buscas na localidade, até receberem informação de que o piloto estaria hospedado em um hotel.
No local, os policiais militares foram informados de que o piloto havia acabado de sair do local, em um mototáxi, em direção ao distrito de Moraes de Almeida. A guarnição militar de Jardim de Ouro manteve contato com o Destacamento de Moraes de Almeida, que montou uma barreira na estrada até a passagem do veículo conduzindo o piloto. Questionado pelos PMs, o piloto confirmou o pouso forçado do avião e informou aos policiais o ponto no rio, onde estava a aeronave. Aos policiais militares, o piloto apresentou versão de que teria partido em voo desde a cidade de Guarantã do Norte, em Mato Grosso, com destino à localidade de Apuí no Amazonas, levando dois homens como passageiros, os quais identificou apenas como Turco e Polaquinho.
Segundo relato do piloto aos PMs, durante a viagem, os dois homens teriam se desentendido durante uma discussão. Polaquinho, segundo o piloto, estaria armado e teria atirado em Turco que morreu na hora. Em seguida, segundo o piloto, Polaquinho teria colocado a arma sobre um assento e aberto a porta lateral para jogar o corpo de Turco para fora do avião em pleno voo. Neste momento, o piloto alega que, com medo de morrer também, pegou a arma e matou Polaquinho com dois tiros. Em seguida, segundo versão do piloto, ele teria se levantando e também jogado o corpo de Polaquinho para fora da aeronave. Foi neste momento que o piloto alega ter perdido controle do avião, mesmo assim conseguiu fazer o pouso forçado no rio.
Ao ser revistado, o piloto portava munições ilegais em seus bolsos. Por esse motivo, ele foi autuado em flagrante pelo crime de porte ilegal de munição pelo delegado João Milhomem. Segundo o delegado Vicente Gomes, titular da Polícia Civil em Itaituba, policiais militares já estiveram no local onde está o avião, mas ainda não foi possível confirmar a versão do piloto, pois ainda não foi localizado qualquer corpo até o momento. "No avião, existem vestígios de sangue, porém não se sabe de quem é. Nem arma de fogo foi localizada. Apenas munição com o piloto", explica o policial civil. Para apurar os fatos, será preciso resgatar a aeronave do rio. Agentes da Polícia Federal estão na região de Jardim de Ouro auxiliando as investigações. O piloto continua prestando depoimento.

Fonte: PC/PA

EX-PREFEITO DE TUCURUÍ DENUNCIADO POR ESQUEMA FRAUDULENTO DE MAIS DE R$ 6 MILHÕES


Denunciados na ação são o ex-prefeito da cidade, Sancler Ferreira, um empresário e o ex-chefe de gabinete
Reprodução / TV Liberal
Um suposto esquema de fraude envolvendo servidores contratados pela prefeitura de Tucuruí e a empresa Clean Gestão Ambiental Serviços Gerais LTDA foi denunciado pelo Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), em uma ação civil pública interposta pela Promotoria de Justiça do município. 
Os denunciados na ação são o ex-prefeito da cidade, Sancler Antônio Wanderley Ferreira, Carlos Maurício Carpes Ettinger, responsável pela empresa, e o ex-chefe de gabinete da gestão Sancler, Francisco Souto de Oliveira Júnior. Os três são acusados de comandar um esquema fraudulento de desvio de dinheiro público que pode ter custado mais de R$ 6 milhões aos cofres públicos da cidade. 
A ação teve como base o Inquérito Civil 001344-027/2017, instaurado na 3ª Promotoria de Justiça para apurar indícios de irregularidades na folha de pagamento da empresa Clean Gestão Ambiental Serviços Gerais LTDA, com participação da prefeitura municipal de Tucuruí. 
O inquérito foi instaurado após a representação de irregularidade encaminhada ao Ministério Público pelo juiz federal titular da Vara Única do Trabalho de Tucuruí, Gustavo Lima Martins que, ao proferir sentença numa ação trabalhista de uma ex-funcionária da Clean, constatou práticas irregulares da prefeitura e da empresa, que violam os princípios administrativos da moralidade e impessoalidade. 
As investigações preliminares apuradas pela promotoria de justiça constaram a existência de um “esquema”, que consistia no seguinte: a prefeitura contratava servidores temporários, lotando os trabalhadores na folha de pagamento da Secretaria Municipal de Urbanismo. Entretanto, na prática, os contratados prestavam serviço para a Clean Gestão Ambiental. 
Um cumprimento de mandado de busca e apreensão na sede da prefeitura de Tucuruí em dezembro de 2016, apreendeu diversos documentos, dentre os quais uma pasta contendo o contrato firmado com a Clean Gestão Ambiental Serviços Gerais e uma listagem com o nome dos servidores temporários do município de Tucuruí, que estavam a serviço da Clean, e cujos nomes constam na folha de pagamento do município. 
A lista teria sido encaminhada por Francisco Souto Junior, um dos denunciados na ação que, na época, era Chefe de Gabinete do Prefeito Municipal Segundo análise documental realizada pelo Grupo de Trabalho Interdisciplinar do Ministério Público de Tucuruí (GATI), foi constatado que no período de janeiro a outubro de 2016, em média, 148 servidores que haviam sido contratados para trabalhar para o município estavam, na verdade, trabalhando para cumprir o contrato da Clean. 
Um levantamento prévio demonstra que entre os exercícios de 2014 a 2016, o município de Tucuruí gastou cerca de R$ 6.120.000,00 (seis milhões e cento e vinte mil reais) para custear servidores contratados e pagos pelos cofres públicos, que trabalhavam sob o comando da empresa. 
De acordo com a denúncia, o contrato de limpeza urbana entre a Clean e o município de Tucuruí custou cerca de R$ 14.468.992,18 (quatorze milhões, quatrocentos e sessenta e oito mil, novecentos e noventa e dois reais e dezoito centavos), entre os anos de 2011 a 2016. 
No entanto, segundo a promotora de Justiça, na análise das cláusulas e aditivos do contrato entre a empresa e o município, não foi encontrada, em nenhum momento, a previsão “de cessão de colaboradores ou mão-de-obra”, do município para a Clean. O objeto do contrato se limitava a serviços de manutenção das vias públicas, incluindo varrição, coleta de lixo domiciliar, hospitalar, dentre outros. 
A partir daí, várias denúncias de irregularidade trabalhistas praticadas pela Clean chegaram ao Ministério Público de Tucuruí, sendo também encaminhadas para o Ministério Público do Trabalho (MPT). Além do mais, o ex-prefeito da cidade, Sancler Ferreira, no final da gestão, deixou de pagar os valores do contrato inicial, além de vários servidores públicos do município, entre eles médicos agentes de saúde, professores e prestadores de serviços de diversas áreas, sendo estes alguns dos fatos que motivaram a denúncia criminal contra ele, feita pelo MPPA, em abril deste ano. 
"Resta claro que foram liberadas verbas públicas indevidamente pelo ex-prefeito Sancler, por meio de facilitações articuladas por Francisco Souto, para que Carlos Mauricio Carpes se enriquecesse ilicitamente, já que recebia da prefeitura de Tucuruí o valor de seu contrato, mais o pagamento da mão de obra que utilizava em seus serviços, de modo que os referidos réus permitiram e facilitaram que fossem utilizados servidores públicos a serviço de terceiros", diz Francisco Teixeira, um dos promotores autores da ação. 
Na ação civil, o MPPA solicita ao juízo a decretação de medida liminar de indisponibilidade de bens dos três réus; que seja julgada procedente a ação, reconhecendo-se a prática de atos de improbidade administrativa por enriquecimento ilícito, por parte dos requeridos, (artigo, 9º, da Lei n.º 8.42992); a perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio (conforme o resultado da quebra dos sigilos); o ressarcimento integral dos valores apropriados indevidamente, no valor de R$ 6.120.000,00 (seis milhões, cento e vinte mil reais); a suspensão dos direitos políticos pelo período de 08 (oito) a 10 (dez) anos; a perda da função pública que estiverem ocupando atualmente (artigo 20, “caput”, da Lei n.º 8.42992) ; a proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por meio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de dez anos. A ação civil púbica é assinada pelos promotores Amanda Luciana Sales Lobato, 2ª Promotora de Justiça de Tucuruí; Francisco Teixeira; promotor de justiça de Novo Repartimento respondendo cumulativamente pela 3ª PJ de Tucuruí e Carlos Alberto Fonseca Lopes, promotor de justiça de Novo Repartimento respondendo cumulativamente com a 2ª PJ de Tucuruí.
Fonte: Portal ORM

sexta-feira, 29 de junho de 2018

MP DENUNCIA SERVIDORES DE TUCURUÍ E EMPRESA POR FRAUDES NO MUNICÍPIO

Esquema fraudulento de desvio de dinheiro público pode ter custado mais de R$ 6 milhões aos cofres públicos
Em uma ação civil pública interposta pela Promotoria de Justiça de Tucuruí, o Ministério Público do Estdo denunciou um suposto esquema de fraude envolvendo servidores contratados pela prefeitura de Tucuruí e a empresa Clean Gestão Ambiental Serviços Gerais LTDA.
Dentre os denunciados, estão o ex-prefeito da cidade, Sancler Antônio Wanderley Ferreira, o reponsável pela empresa, Carlos Maurício Carpes Ettinger e o ex-chefe de gabinete da gestão Sancler, Francisco Souto de Oliveira Júnior. Os três são acusados de comandar um esquema fraudulento de desvio de dinheiro público que pode ter custado mais de R$ 6 milhões aos cofres públicos da cidade. 
A ação teve como base o Inquérito Civil 001344-027/2017, instaurado na 3ª Promotoria de Justiça para apurar indícios de irregularidades na folha de pagamento da empresa Clean Gestão Ambiental Serviços Gerais LTDA, com participação da prefeitura municipal de Tucuruí. 
O inquérito foi instaurado após a representação de irregularidade encaminhada ao Ministério Público pelo juiz federal titular da Vara Única do Trabalho de Tucuruí, Gustavo Lima Martins que, ao proferir sentença numa ação trabalhista de uma ex-funcionária da Clean, constatou práticas irregulares da prefeitura e da empresa, que violam os princípios administrativos da moralidade e impessoalidade. 
Investigações preliminares da promotoria de justiça constaram a existência de “esquema” que consistia na contratação de servidores temporários, lotando os trabalhadores na folha de pagamento da Secretaria Municipal de Urbanismo. Entretanto, na prática, os contratados prestavam serviço para a Clean Gestão Ambiental. 
Um cumprimento de mandado de busca e apreensão na sede da prefeitura de Tucuruí em dezembro de 2016, apreendeu diversos documentos, dentre os quais uma pasta contendo o contrato firmado com a Clean Gestão Ambiental Serviços Gerais e uma listagem com o nome dos servidores temporários do município de Tucuruí, que estavam a serviço da Clean, e cujos nomes constam na folha de pagamento do município. 
A lista teria sido encaminhada por Francisco Souto Junior, um dos denunciados na ação que, na época, era Chefe de Gabinete do Prefeito Municipal.  Segundo análise documental realizada pelo Grupo de Trabalho Interdisciplinar do Ministério Público de Tucuruí (GATI), foi constatado que no período de janeiro a outubro de 2016, em média, 148 servidores que haviam sido contratados para trabalhar para o município estavam, na verdade, trabalhando para cumprir o contrato da Clean. 
Um levantamento prévio demonstra que entre os exercícios de 2014 a 2016, o município de Tucuruí gastou cerca de R$ 6.120.000,00 para custear servidores contratados e pagos pelos cofres públicos, que trabalhavam sob o comando da empresa. De acordo com a denúncia, o contrato de limpeza urbana entre a Clean e o município de Tucuruí custou cerca de R$ 14.468.992,18, entre os anos de 2011 a 2016. No entanto, segundo a promotora de Justiça, na análise das cláusulas e aditivos do contrato entre a empresa e o município, não foi encontrada, em nenhum momento, a previsão “de cessão de colaboradores ou mão-de-obra”, do município para a Clean. 
O objeto do contrato se limitava a serviços de manutenção das vias públicas, incluindo varrição, coleta de lixo domiciliar, hospitalar, dentre outros. A partir daí, várias denúncias de irregularidade trabalhistas praticadas pela Clean chegaram ao Ministério Público de Tucuruí, sendo também encaminhadas para o Ministério Público do Trabalho (MPT). Além do mais, o ex-prefeito da cidade, Sancler Ferreira, no final da gestão, deixou de pagar os valores do contrato inicial, além de vários servidores públicos do município, entre eles médicos agentes de saúde, professores e prestadores de serviços de diversas áreas, sendo estes alguns dos fatos que motivaram a denúncia criminal contra ele, feita pelo MPPA, em abril deste ano. "Resta claro que foram liberadas verbas públicas indevidamente pelo ex-prefeito Sancler, por meio de facilitações articuladas por Francisco Souto, para que Carlos Mauricio Carpes se enriquecesse ilicitamente, já que recebia da prefeitura de Tucuruí o valor de seu contrato, mais o pagamento da mão de obra que utilizava em seus serviços, de modo que os referidos réus permitiram e facilitaram que fossem utilizados servidores públicos a serviço de terceiros", diz Francisco Teixeira, um dos promotores autores da ação.
Na ação civil, o MPPA solicita ao juízo a decretação de medida liminar de indisponibilidade de bens dos três réus; que seja julgada procedente a ação, reconhecendo-se a prática de atos de improbidade administrativa por enriquecimento ilícito, por parte dos requeridos, (artigo, 9º, da Lei n.º 8.42992); a perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio (conforme o resultado da quebra dos sigilos); o ressarcimento integral dos valores apropriados indevidamente, no valor de R$ 6.120.000,00 (seis milhões, cento e vinte mil reais); a suspensão dos direitos políticos pelo período de 08 (oito) a 10 (dez) anos; a perda da função pública que estiverem ocupando atualmente (artigo 20, “caput”, da Lei n.º 8.42992) ; a proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por meio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de dez anos. 
A ação civil púbica é assinada pelos promotores Amanda Luciana Sales Lobato, 2ª Promotora de Justiça de Tucuruí; Francisco Teixeira; promotor de justiça de Novo Repartimento respondendo cumulativamente pela 3ª PJ de Tucuruí e Carlos Alberto Fonseca Lopes, promotor de justiça de Novo Repartimento respondendo cumulativamente com a 2ª PJ de Tucuruí.

Fonte: Portal ORM com informações do MPPA

GERENTE DE BANCO DE ACARÁ E SEUS FILHOS FICARAM HORAS SOB MIRA DE CRIMINOSO


A babá também foi rendida pelo criminoso, e uma modalidade de crime conhecida como 'sapatinho'
Uma gerente de uma agência bancária do município de Acará, nordeste paraense, a cerca de 100 Km da capital Belém, foi sequestrada em uma ação da modalidade conhecida como "sapatinho", que consiste na coerção de funcionários do banco, ameaçando eles ou seus familiares. O caso foi ainda nas primeira horas da manhã desta sexta-feira (29). Após a ação, os bandidos continuam foragidos.
A gerente do banco Banpará disse à Polícia Civil que foi rendida em sua própria casa, por volta de 6h da manhã por um homem armado. A mulher esta sozinha na residência com seus dois filhos, uma criança de 1 ano e oito meses e outra de 13 anos. Quando a babá chegou à casa, por volta de 8h, ela também foi coagida e forçada a entrar no carro da gerente, todos sob a mira de uma arma de fogo e constantes ameaças.
Depois de dirigirem por cerca de 10 km na saída de Acará, as vítimas foram forçadas a entrar em um Volkswagen Gol vermelho que estava na rodovia PA-151, esperando. Após mais algumas horas sob o domínio do criminoso, as quatro vítimas foram deixadas na rodoviária de Abaetetuba. A Polícia Civil ainda não divulgou se o criminoso conseguiu roubar qualquer quantia da gerente ou obteve informações privilegiadas sobre a rotina do banco. As mulheres prestara depoimento e foram liberadas em seguida. A Polícia Civil agora tenta localizar o carro usado na ação e o suspeito de coagir a gerente e sua funcionária.

Fonte: Portal ORM

URUARÁ TERÁ REPRESENTANTE NO CAMPEONATO MUNDIAL DE JIU-JITSU 2018.


Viajou nessa Quarta feira dia 27 de Junho para São Paulo o atleta Johny Storch Westphal que vai representar Uruará no mundial que acontece de 5 a 8 de julho no Ginásio do Ibirapuera. Johny foi medalha de ouro no Sul-Americano 2018 (Maio) em Belém. 
A academia Taysan equipe Kings Jiu Jitsu é uma fábrica de fazer campeões onde teve BI-campeão Norte (2013-2014) Campeões Pan-Americanos (2014), Campeão sul-americano (2015), medalha de prata no Paraense 2014, Campeões Paraenses (2015), Campeão Brasileiro 2016, recentemente (maio) conquistamos 8 medalhas de ouro 2 de prata e 3 de bronze no sul-americano 2018 e o troféu de 4 lugar geral por equipes. 
Onde a Academia Uruaraense também teve, outros diversos bons resultados em competições regionais (Santarém, Itaituba, Uruará, Altamira). O título mundial de jiu-jitsu Uruará ainda não possui, essa missão foi dada ao campeão sul-americano e bronze absoluto o Uruaraense Jhony.

BRIGA EM AERONAVE TERMINA EM DUAS MORTES E POUSO FORÇADO EM ITAITUBA


O piloto, identificado como Sérgio Vanderlei Becker, presta depoimento na delegacia da cidade
Divulgação/Arquivo
Uma confusão dentro de uma aeronave resultou na morte de duas pessoas e um pouco forçado no municípío de Itaituba, no sudoeste paraense. Em nota, a Polícia Civil informou que investiga o caso. O acidente ocorreu no rio Jamanxim, às proximidades do Distrito de Jardim de Ouro, região garimpeira do município. O fato teria ocorrido na última quarta-feira (27), por volta de 17 horas, mas chegou ao conhecimento das autoridades policiais na madrugada de hoje (29), quando o boletim de ocorrência foi registrado na Seccional de Polícia de Itaituba.
Segundo informações da Polícia Civil, piloto da aeronave, Sérgio Vanderlei Becker, foi detido na noite de ontem (28), no distrito de Moraes de Almeida, em Itaituba, por uma guarnição da Polícia Militar, no momento em que chegava à localidade em um mototáxi. Sérgio, então, foi inicialmente conduzido à Unidade Integrada de Polícia do distrito e depois levado para a Seccional de Polícia Civil de Itaituba, na sede do município, para prestar esclarecimentos, por volta de 23h50. 
A Polícia Civil esclarece que o caso chegou ao conhecimento do Destacamento da PM da região de Jardim de Ouro, por volta de 18 horas de ontem (28), quando pescadores foram até a Unidade da PM local perguntar se o piloto de um avião que teria caído no rio havia procurado ajuda no Posto Policial, o que não havia ocorrido. Por conta disso, os policiais militares passaram a fazer buscas na localidade, até receberem informação de que o piloto estaria hospedado em um hotel. 
No local, os policiais militares foram informados de que o piloto havia acabado de sair do local, em um mototáxi, em direção ao distrito de Moraes de Almeida. A guarnição militar de Jardim de Ouro manteve contato com o Destacamento de Moraes de Almeida, que montou uma barreira na estrada até a passagem do veículo conduzindo o piloto. Questionado pelos PMs, o piloto confirmou o pouso forçado do avião e informou aos policiais o ponto no rio, onde estava a aeronave. 
De acordo com o piloto, o avião teria saído da cidade de Guarantã do Norte, em Mato Grosso, com destino à localidade de Apuí, no Amazonas com dois homens como passageiros, que foram identificados apenas como Turco e Polaquinho.
Ainda segundo Sérgio, os dois passageiros teriam se desentendido durante a discussão. Polaquinho, segundo o piloto, estaria armado e teria atirado em Turco que morreu na hora. Em seguida, segundo o piloto, Polaquinho teria colocado a arma sobre um assento e aberto a porta lateral para jogar o corpo de Turco para fora do avião em pleno voo. Neste momento, o piloto alega que, com medo de morre, pegou a arma e deu dois tiros em Polaquinho, que veio a falecer. Em seguida, segundo versão do piloto, ele teria se levantando e também jogado o corpo de Polaquinho para fora da aeronave. 
Ao tentar jogar o segundo corpo, o piloto alega ter perdido controle do avião, mas mesmo assim conseguiu fazer o pouso forçado no rio. Ao ser revistado, o piloto portava munições ilegais em seus bolsos. Por esse motivo, ele foi autuado em flagrante pelo crime de porte ilegal de munição pelo delegado João Milhomem. 
De acordo com o delegado Vicente Gomes, titular da Polícia Civil em Itaituba, policiais militares já estiveram no local onde está o avião, mas ainda não foi possível confirmar a versão do piloto, já que nenhum dos corpos foi localizado até o momento. 
"No avião, existem vestígios de sangue, porém não se sabe de quem é. Nem arma de fogo foi localizada. Apenas munição com o piloto", explica o policial civil. Para apurar os fatos, será preciso resgatar a aeronave do rio. Agentes da Polícia Federal estão na região de Jardim de Ouro auxiliando as investigações. O piloto continua prestando depoimento. 
Fonte: Portal ORM

ASTEROIDE 9 VEZES MAIOR QUE PORTUGAL APROXIMA-SE DA TERRA E SERÁ VISÍVEL A OLHO NU

Foto: Reprodução

Está a caminho da Terra um asteróide COLOSSAL que é cerca de 9 vezes maior que Portugal. Este corpo celeste passará tão perto que o poderemos ver a olho nu no céu noturno, nos hemisférios norte e sul.
O asteróide mede mais de 800 mil quilómetros quadrados, o que significa que é 50 vezes mais largo que o meteoro que varreu os dinossauros. O Vesta vai passar “ao largo”.

VESTA É CERCA DE 9 VEZES MAIOR QUE PORTUGAL
O asteroide é conhecido como 4 Vesta, ou Vesta e é tão grande e brilhante que pode ser visto apesar de estar a mais de 170 milhões de quilómetros de distância. Pode ser visto no céu noturno perto de Marte, Saturno e da constelação de Sagitário.
Segundo a NASA, este enorme corpo celeste, rochoso e metálico que tem dimensões quase 9 vezes maiores que Portugal, não está próximo da Terra e não há chance de causar impacto. Contudo, dado o seu tamanho este será visível no céu noturno até 16 de julho.

PORQUE VESTA?

O descobridor de 4 Vesta, Heinrich Wilhelm Olbers, deu a honra de nomear o novo asteroide ao matemático alemão Carl Friedrich Gauss, que havia descoberto a sua órbita. Gauss nomeou Vesta como a deusa da lareira e do lar na mitologia romana.
O asteroide gigantesco será fácil de detetar quando comparado com outras rochas espaciais, já que a sua superfície reflete mais luz do que a Lua. Os observadores de estrelas no hemisfério norte localizarão Vesta além da ponta noroeste da constelação de Sagitário. As pessoas do hemisfério sul verão o asteroide a aparecer a sudoeste da constelação.
O asteroide foi visível pela última vez no céu noturno em 2011.
Vesta é o segundo maior pedaço de rocha a orbitar no cinturão de asteróides, com Ceres a superar o seu tamanho. Ceres foi recentemente reclassificado como um planeta anão.
Saturno e Marte também estarão próximos e serão visíveis a olho nu a partir de agora até meados de julho.

ACIDENTE ENTRE CARRO E MOTO DEIXA UM MORTO E UM FERIDO O ACIDENTE ACONTECEU NESTA SEXTA NA SAÍDA DA VICINA 12


O acidente aconteceu na manhã desta sexta-feira na saída da vicina 12 para a rodovia transamazônica envolvendo um motociclista e uma caminhonete.

De acordo com informações de populares o motociclista trafegava em alta velocidade quando bateu de frente com a caminhonete que trafegava no sentido à Altamira morreu na hora. O motorista do carro é seu Olavo, Pai do Pastor Edilson, e que é muito conhecido na cidade. Ele teve ferimentos na cabeça e foi socorrido para o hospital municipal Maria José Biancardi para cuidados médicos.
O Jovem morto no acidente foi identificado como sendo Anderson Rocha e morava no Km 40. De acordo com este senhor Anderson era muito querido na comunidade onde morava.
O rapaz estava em uma moto do modelo Lander e bateu na caminhonete após perder o controle e com o impacto da batida, Anderson sofreu várias fraturas e acabou morrendo na hora. As polícias Civil e militar estiveram no local para resguardar e isolar a área. A Polícia Rodoviária também esteve no local, por se tratar de um acidente em uma via federal e realizaram os procedimentos e organizaram o trânsito. O IML foi acionado para a remoção do corpo que foi encaminhado para Altamira para exames de necrópsia.

Matéria completa no vídeo:



Por: Valdemídio Siva
Imagens e informações: Cleiton Macário

MINISTRO DO STJ DETERMINA A SOLTURA DE PADRE AMARO, PRESO NO PA

Liderança da CPT no Pará e braço direito de missionária Dorothy Stang,
Padre Amaro teve prisão preventiva cumprida pela Polícia do Pará,
após decisão da Justiça. (Foto: Reprodução / TV Liberal)

Habeas corpus havia sido negado pela Justiça do Pará no dia 4 de junho. Padre Amaro cumpre prisão em Altamira e aguarda agora que a decisão do STJ seja comunicada oficialmente ao juiz da comarca de Anapu e à Susipe.O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Rogerio Schietti Cruz concedeu nesta quinta-feira (28) o recurso de habeas corpus ao padre José Amaro Lopes de Sousa, preso em março deste ano em Anapu, no sudeste paraense. A Justiça do Pará havia negado o pedido de habeas corpus no dia 4 de junho. A decisão veio por unanimidade dos desembargadores do Tribunal de Justiça (TJPA). Ele é investigado de envolvimento nos crimes de associação criminosa, ameaça, extorsão, constrangimento ilegal e lavagem de dinheiro. O G1 aguarda mais informações da defesa do Padre Amaro.
Padre Amaro cumpre prisão em Altamira e aguarda agora que a decisão seja comunicada oficialmente ao juiz da comarca de Anapu e à Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe).
Padre Amado era considerado braço direito da missionária Dorothy Stang, assassinada em 2005, em Anapu, sudoeste do estado. Ele deu continuidade ao trabalho da religiosa defendendo os direitos humanos, assentamento de sem-terra e as reformas fundiária e agrária na região.
Ao ser preso, o padre foi levado para o mesmo presídio do mandante do assassinato de Dorothy Stang, fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão, conhecido como 'Taradão'. Galvão foi preso em setembro de 2017, 12 anos após o crime.
Em março deste ano, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) no Pará divulgou uma nota afirmando que a prisão preventiva da liderança rural Padre Amaro "é uma medida que busca satisfazer aos interesses dos latifundiários" da região do sudoeste do estado. A nota alegava que a decisão não teria se baseado em fatos concretos, mas em depoimentos de fazendeiros e de outras pessoas contrárias ao trabalho do padre.

Fonte: G1/PA

MAIS DE CEM EMPRESÁRIOS SÃO ENGANADOS POR ESTELIONATÁRIO EM ALTAMIRA/PARÁ


Stelio Augusto de Araújo Sousa foi detido pela Polícia Civil de Altamira, depois que alguns empresários desconfiaram de que ele estaria cometendo golpes na cidade. O homem bem vestido se apresentava aos empresários com um crachá a serviço da Receita Federal.
Segundo as vítimas, em tom intimidador ele oferecia uma rifa com várias premiações, entre elas computador e moto. Muitos envelopes já continham os nomes das empresas e endereços dos alvos.
Cada rifa custava 150 reais. Quase cem empresários chegaram a pagar o valor e outros assinaram recibos. Até agora quase 15 mil teriam sido coletados das vítimas, que agia com ajuda de uma mulher.
Ambos estavam hospedados em um hotel da Cidade. Stelio foi preso em flagrante com ajuda das vítimas, a Polícia marcou um encontro com o Criminoso.
Fotos e Informações: Facebook/Carlos Calaça

GOVERNO INICIA A RECUPERAÇÃO TOTAL DAS ESTRADAS VICINAIS A VICINAL 10 FOI A PRIMEIRA COM 72 KM ESTRADAS RECUPERADAS



Por: Valdemídio Silva
Imagens: Cleiton Macário

quinta-feira, 28 de junho de 2018

POLÍCIA BUSCA 41 FUGITIVOS DE PRESÍDIO EM MARABÁ


Equipes também buscam foragidos de Santa Izabel do Pará
Equipes da Polícia Militar realizam buscas aos 41 presos fugitivos do Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes (Crama), em Marabá, sudeste paraense, no final da tarde da última terça-feira (26). Na manhã desta quinta-feira (28), 15 presos foram recapturados. Dois presos morreram no confronto . Uma revista estrutural e recontagem foi realizada na unidade prisional, que teve a segurança reforçada. Atualmente, o Crama custodia 571 presos. A capacidade é para 180.
De acordo com informações preliminares das Polícias Civil e Militar, a fuga contou com apoio de um grupo externo (também armado) que chegou a trocar tiros com PM's que faziam a segurança do Complexo Penitenciário. Um policial foi baleado na perna, mas não corre risco de morte. Ele foi socorrido e encaminhado para o Hospital Regional de Marabá para a realização de exames clínicos. De acordo com o último boletim médico, o quadro dele é considerado estável.
As buscas se concentram na área de mata próximo ao Complexo Penitenciário de Marabá e num raio de 20km da rodovia Transamazônica. Quem tiver qualquer informação sobre os foragidos pode fazer uma denúncia anônima pelo 181 e ajudar a Polícia na recaptura. O sigilo é garantido. 
No último domingo (24), a Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) também confirmou a fuga de 46 presos do Centro de Recuperação Penitenciário Pará I (CRPP I), no Complexo de Santa Izabel. A fuga dos detentos ocorreu na madrugada, por volta das 4h30. Os presos cavaram um túnel para sair do centro de detenção. Dois detentos já foram recapturados. As buscam também continuam em Santa Izabel.

Fonte: Portal ORM

STF PODE JULGAR HOJE VALIDADE DA REFORMA TRABALHISTA


Se o julgamento for concluído, as ações trabalhistas serão analisadas
Fonte: ORM
O Supremo Tribunal Federal (STF) pode julgar hoje (28), a partir das 14h, ações protocoladas por diversos sindicatos de trabalhadores contra alterações na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), feitas pela Lei 13.467/2017, a reforma trabalhista. O primeiro item da pauta de julgamento será uma ação que trata de royalties de petróleo para Santa Catarina. Se o julgamento for concluído, as ações trabalhistas serão analisadas.
Entre os pontos contestados estão o fim da contribuição sindical obrigatória e o reconhecimento da prática do trabalho intermitente, modalidade de contratação de mão de obra autorizada pela nova legislação trabalhista. As federações sindicais alegam que o fim do imposto sindical obrigatório viola a Constituição, pois inviabiliza suas atividades por extinguir repentinamente a fonte de 80% de suas receitas. Para os sindicatos, o imposto somente poderia ser extinto por meio da aprovação de uma lei complementar, e não uma lei ordinária, como foi aprovada a reforma.
No caso do trabalho intermitente, os sindicatos alegaram que a modalidade precariza a relação de emprego e ofende os princípios constitucionais da vedação ao retrocesso social e da dignidade humana. Pelo trabalho intermitente, o trabalhador autônomo poderá prestar serviços a mais de um contratante, em horários distintos, mesmo que os contratantes atuem no mesmo segmento econômico. Com ou sem exclusividade, de forma contínua ou não, o contrato de trabalho autônomo afasta o vínculo empregatício permanente. 
Entretanto, o período de inatividade não será considerado tempo à disposição do empregador e nem será remunerado - hipótese em que restará descaracterizado o contrato de trabalho intermitente caso haja remuneração por tempo à disposição no período de inatividade. Em parecer enviado ao STF, a Procuradoria-Geral da República (PGR) deu parecer a favor das alterações.
Fonte: Portal ORM

JOVEM É PRESO NA CIDADE DE URUARÁ APÓS TENTAR MATAR IDOSO USANDO MARTELO

A tentativa de homicídio foi contra um que teve sua casa invadida por jovem que usou um martelo para cometer o crime
A Polícia Militar deteve na madrugada desta quarta-feira, 27, e conduziu para os procedimentos na Delegacia de Polícia civil, um jovem que tentou tirar a vida de um idoso a marteladas na cidade de Uruará, sudoeste do Pará. Segundo informou a polícia, o jovem Rivaldo Lobo dos Santos, de 18 anos, agrediu a vítima de 77 anos, com 3 marteladas na cabeça ao entrar na casa do mesmo para furtar. O caso ocorreu por volta das 4 horas da madrugada desta quarta (27) na Avenida Ângelo Debiase, zona sul da cidade. O autor entrou na residência pela janela com intenção de furtar objetos ou dinheiro.
Acusado
Segundo informou a Polícia Civil, houve luta corporal entre vítima e ladrão. Ainda ferida a vítima conseguiu atingir o bandido e em seguida gritou chamando os vizinhos que o socorreram. O ladrão fugiu do local sem levar nada.
Ao procurar atendimento no Hospital Municipal de Uruará o criminoso foi reconhecido pela vítima que também buscou atendimento médico na unidade hospitalar apresentando ferimentos na cabeça. A PM foi acionada e conseguiu prender o ladrão. 
O autor da tentativa já tem passagens pela polícia. 
A Polícia Civil, através do Escrivão Ivan e Delegado Gabriel Silveira, ouviu testemunhas e vítima na manhã desta quarta-feira. O autor também será ouvido.
Rivaldo está recolhido na carceragem da Delegacia de Polícia Civil a disposição da justiça.

O nome e imagens da vítima foram preservados pela nossa reportagem.

Por: Joabe Reis

HOMOLOGADO O RESULTADO FINAL DO CONCURSO DO BANPARÁ


A lista com os nomes que preencheram as 126 vagas e cadastro de reserva está no site da Fadesp
Foto: Divulgação
O resultado final do concurso para o Banco do Estado do Pará (Banpará) foi homologado. A lista de classificação geral foi publicada no Diário Oficial do Estado e pode ser consultada na página de acompanhamento, no www.portalfadesp.org.br/concursos.
O concurso teve 73,7 mil candidatos presentes à prova objetiva que foi aplicada dia 06 de maio para todos os níveis escolares. Eles foram distribuídos em 155 locais de quatro cidades do Pará: Belém, Castanhal, Marabá e Santarém.
Os que concorreram aos cargos de nível Superior ainda foram submetidos à prova de títulos, de caráter eliminatório e classificatório. A proporção dos convocados para essa fase atendeu regra do edital.
Na lista de homologação, pode ser conferida a pontuação total dos que foram classificados para o número de vagas ofertadas e dos aprovados para o cadastro de reserva. O resultado tem validade de dois anos prorrogáveis por igual período. Conforme o edital, a convocação é de responsabilidade do Banpará.

Fonte: Portal ORM

MPPA INVESTIGARÁ SERVIDORA QUE DEIXOU PONTO ASSINADO E FOI PARA COPA NA RÚSSIA


Funcionária pública da Secretária de Estado de Transporte (Setran) será investigada após denúncias de fraude
Reprodução / Federação Paraense de Futebol)
A Promotoria de Justiça da Defesa do Patrimônio Público e da Moralidade Administrativa instaurou, na manhã desta terça-feira (26), procedimento investigatório para averiguar possível ato de improbidade administrativa praticado pela funcionária pública Iolanda Vilhena, da Secretária de Estado de Transporte (Setran). A servidora é suspeita de ter preenchido previamente a folha de ponto do mês de junho e ter viajado à Rússia para assistir a Copa do Mundo.
O procedimento investigatório é de autoria do promotor de justiça Rodier Ataíde Barata e pode durar até 90 dias. A funcionária pública está sendo investigada por possivelmente estar em viagem para a Rússia, mas sem autorização, licença ou férias do trabalho. Uma série de imagens publicadas em redes sociais e reproduzidas por meios de comunicação mostram Iolanda supostamente em estádios da Rússia.
O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) recebeu denúncias do fato e instaurou o procedimento investigatório para comprovação, ou não, da suposta irregularidade. A investigação pretende comprovar se a viagem realmente ocorreu, se ouve mesmo a assinatura da folha de ponto do mês e se há outros envolvidos no caso.
Em caso de comprovação da irregularidade, a funcionária pública poderá responder por ato de improbidade administrativa, devido à violação de princípios da administração pública, podendo assim perder sua função pública. Caso não seja comprovado, o caso deve ser arquivado.

Fonte: PortalORM com informações da Polícia Civil