sábado, 12 de agosto de 2017

TEMER CORTA BOLSA FAMÍLIA DE 1,1 MILHÃO, E ATINGE QUEM VIVE COM R$ 440 PER CAPITA

Dados do Ministério de Desenvolvimento Social de abril de 2016 (quando a presidente Dilma Rousseff foi afastada) a julho deste ano revelam que foram desligados do Bolsa Família 1.151.505 famílias, uma queda de 8,2%; o deputado baiano Jorge Solla (PT), que levantou os dados, diz que no período a tendência natural seria de aumento no número de benefícios, e não redução; "Temos de lá para cá mais um milhão de desempregados. O Brasil vive uma grave crise social em decorrência do arrocho desse governo e o único amparo que há para que não passem fome, que é o Bolsa Família, está sendo cortado. Qual a consequência? O aumento da fome e da miséria", lamenta Solla.
 Dados do Ministério de Desenvolvimento Social de abril de 2016 (quando a presidente Dilma Rousseff foi afastada pela Câmara dos Deputados) a julho deste ano revelam que foram desligados do Bolsa Família 1.151.505 famílias, uma queda de 8,2%. A estimativa é de que 3,4 milhões de brasileiros ficaram sem assistência.
O deputado federal baiano Jorge Solla (PT-BA), que levantou os dados e divulgou em pronunciamento na Câmara, ressaltou que no período a tendência natural seria de aumento no número de benefícios, e não redução.
"Temos de lá para cá, segundo dados do Caged, mais um milhão de desempregados, o Brasil vive uma grave crise social em decorrência do arrocho desse governo e o único amparo que há para que não passem fome, que é o Bolsa Família, está sendo cortado. Qual a consequência? O aumento da fome e da miséria", lamentou Solla.

Em seu discursos, ele destacou que com o corte no programa social o governo conseguiu economizar somente R$ 773 milhões, conforme dados do MDS. "Esse mesmo governo gastou R$ 10 bilhões para comprar votos dos ruralistas dando dinheiro público nas mãos desses parlamentares via isenção fiscal, é um escândalo", disse.
Fonte: Brasil247

Nenhum comentário:

Postar um comentário