quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Em Açailândia: MULHER ENFIA COBRA JIBÓIA NA VAGINA E QUASE MORRE

Quem trabalha na área da saúde, ou até mesmo tem algum amigo que seja médico ou enfermeiro, pode já ter ouvido, talvez até presenciado, casos no qual o paciente tenha utilizado objetos não convencionais para obter prazer sexual.
Apesar de não ser tão comum, é uma prática que algumas pessoas adotam, sem antes mesmo de pensar nas consequências, que podem ser fatais, ou digamos que bem constrangedoras.

os últimos dias, diversos sites internacionais divulgaram imagens de uma maranhense que resolveu se arriscar em busca do prazer. A moça, que não teve seu nome divulgado, vive em Açailândia-MA e surpreendeu o mundo ao utilizar uma serpente (cobra jiboia) para saciar seus prazeres sexuais. 
O mais chocante da história é que, para conseguir uma aparência próxima a do membro masculino, ela introduziu quase toda a serpente em suas partes.

Sem imaginar os problemas que esta aventura sexual poderia proporcionar, e focada em conseguir no animal a sensação de prazer na qual ela não conseguiu com nenhum outro parceiro, a jovem introduziu a cobra em seu corpo. A jiboia, que era muito grande, acabou presa em seu órgão sexual. Desesperada, ela recorreu a um hospital para socorrê-la.
A maranhense precisou ser operada para a retirada da serpente e um vídeo, que circula na web, mostra o pós-operatório, na qual a cobra aparece suja de sangue ao lado da jovem. De acordo com a imprensa internacional, ele teria sido gravado por profissionais do hospital onde a mulher foi atendida.
Ela continua internada, recebendo acompanhamento médico. Ainda não há previsão de alta e o hospital disse que ela não corre risco de morte.
Infelizmente, o fato,= que aconteceu nesta semana não é isolado. É comum encontrarmos na internet diversas notícias retratando o ocorrido com outras pessoas, que na hora de obter prazer são criativas e utilizam objetos inesperados.

Publicado por Charles Amorim
Fonte: Romerio Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário