terça-feira, 29 de novembro de 2016

CONSELHO TUTELAR ANUNCIA GREVE EM ENTREVISTA DE RÁDIO

Parte dos servidores públicos de Brasil Novo, lotados pela Secretaria de Administração, ameaçam entrar em greve nos próximos dias. Os servidores reclamam da falta dos pagamentos de salários. 

Segundo nos informaram, eles estão há três meses sem receberam seus vencimentos e muitos deles dizem estarem passando por dificuldades, principalmente os que moram de alugueis. – “Não seu mais o que fazer e nem tenho mais desculpas para dar ao dono da casa de onde eu moro que quer receber o aluguel e eu não sei como fazer para pagar. Está faltando tudo lá em casa e ninguém nos dá uma satisfação” – reclamou um funcionário que pediu para não ser identificado.
Advanilson Silva - Conselho Tutelar (Foto: Facebook)
Quem também anunciou greve foi os Conselheiros Tutelares de Brasil Novo a alegação é a falta de pagamento, por parte do governo municipal, dos vencimentos dos conselheiros. Em entrevista à uma emissora de rádio o Conselheiro Advanilson Silva, comunicou que as atividades do Conselho Tutelar serão reduzidas pela metade e que o atendimento só serão realizado no período da manhã no horário das 08:00 às 12:00 horas até que se normalize.
Em conversa com o governo municipal fomos informados de que todos os esforços estão sendo dedicados na tentativa de solucionar o problema que foi causado pelo bloqueio do FPM - Fundo de Participação dos Municípios - de onde o município de Brasil novo, assim como muitos outros do país, capta recursos para pagamento de funcionários e fornecedores e o FPM do município está bloqueado desde o meado do ano. 
Na tentativa de desbloquer os recursos e efetuar o pagamento dos funcionários, a Administração Municipal apresentou e a Câmara de Vereadores votou, durante a seção de sexta-feira (25), o Projeto de Lei de número 186 de 23 de outubro de 2016 que autoriza o poder Executivo a efetuar o parcelamento das contribuições previdenciárias devidas ao Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, em atraso. A dívida acumulada do Município desde os primeiros mandatos eletivos é de R$ 7.348. 547, 08 (Sete milhões, trezentos e quarenta e oito mil, quinhentos e quarenta e sete reais e oito centavos) relativos às contribuições patronais, que é o valor devido pelo empregador e R$ 2.254.865,69 (dois milhões, duzentos e cinquenta e quatro mil, oitocentos e sessenta e cinco reais e sessenta e nove centavos) relativos à contribuições do segurado. Esse atraso é responsável pelo bloquei do Fundo de Participação dos Municípios – FPM e a negociação é uma forma de desbloquear os recursos do FPM, já que o município não dispões de recursos suficientes para pagar a dívida.
A Prefeita Marina Sperotto esteve pessoalmente, na manhã desta terça-feira (29), na sede da Receita Federal em Altamira tentando resolver o mais rápido possível a situação do município. Marina Sperotto disse que o objetivo é entregar o seu mandato com os salários dos servidores e os fornecedores em dias. - "O que está ao meu alcance estou fazendo, mas isso não depende só de minha vontade". - comentou a Prefeita.

Por: Valdemídio Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário