segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Pará é declarado livre de febre aftosa pelo Ministério da Agricultura


“O Pará está livre da aftosa”, disse o governador Simão Jatene, após assinar o ato do Ministério da Agricultura que atesta o Pará como território livre da aftosa, durante solenidade na manhã deste domingo (18), no auditório Inocêncio Oliveira, no Parque de Exposições Amílcar Tocantins, em Paragominas, na programação da 47ª Agropec – Feira Agropecuária de Paragominas. O evento, que teve a presença do ministro da Agricultura, Antônio Andrade Ferreira, reuniu políticos, produtores e sociedade em geral.

Simão Jatene agradeceu pelo esforço conjunto e lembrou que esse resultado só foi alcançado “porque todos fizeram a sua parte”. Em 2005, o governo do Estado reduziu a alíquota sobre o gado, que era de 17%, para 1,8%, sendo que 0,3% da alíquota foi destinado para o Fundepec, para ações de combate à aftosa que, na época, era um risco desconhecido.

“Este é um marco na história do nosso Estado. A vitória sobre a aftosa no Pará se consolida. Isso só foi possível por causa da humildade e coragem dos produtores para se ajudar e ousar. Essa luta tem mais de uma década, mas o fator determinante foi a compreensão de cada produtor de que não adiantava ele resolver o problema só da sua fazenda, sem resolver a do vizinho. Foi a solidariedade entre os produtores que permitiu que hoje o estado do Pará esteja livre da aftosa”, reiterou Simão Jatene.

O ministro da Agricultura, Antônio Andrade Ferreira, parabenizou o governo do Estado e disse que a agropecuária do Pará é fundamental para a balança comercial do país. Segundo ele, este foi o ano que mais se exportou carne bovina brasileira, resultando em quase R$ 50 bilhões de dólares na balança comercial. A produção de grãos também bate recorde este ano no Brasil e deve passar de 190 milhões de toneladas de grãos. Para Antônio Andrade, a declaração de que o Pará está livre da aftosa possibilita novos recordes nessa produção.

“É importante declarar essa região livre da aftosa porque queremos bater o recorde dos recordes. Queremos cada vez mais exportar, queremos contribuir com os nossos produtores. Com o Estado livre de aftosa, o rebanho vai aumentar de preço. O Pará, que é o quarto maior rebanho do país, deve tranquilamente atingir o primeiro lugar. Isso para nós é um orgulho muito grande. Demonstra o quanto esse setor tem crescido. A mineração era mais importante que o agronegócio e hoje o agronegócio é mais importante que mineração”, disse o governador.

Durante o evento, o Instituto de Terras do Pará (Iterpa) entregou 26 títulos de terra para produtores de Paragominas. O pecuarista Luiz Carlos Barbosa, um dos agraciados pela titulação, disse que agora poderá acessar recursos para investir no negócio. “O título da terra é a identidade do terreno. Sem ele, a gente não tem acesso a linhas de crédito. Agora, com essa titulação, teremos condições de investir mais e melhor na nossa produção”, avaliou.

Na ocasião também foi lançado o Primeiro Circuito Feicorte em Paragominas, com o tema “Eficiência na produção e na comercialização de carne”, que ocorre dias 7 e 8 de novembro deste ano. O evento é uma feira de negócios com a presença de especialistas e com palestras e debates na programação. O encontro, que ocorre há 19 anos em São Paulo, também vai percorrer as cidades de Cuiabá (MT), Palmas (TO), Campo Grande (MS) e Ji Paraná (RO).

O Pará é o quarto maior produtor de gado do Brasil e um dos poucos Estados brasileiros que podem aumentar a produção de carne bovina respeitando as questões ambientais. Atualmente, o rebanho paraense é de 20 milhões de cabeça de gado, que corresponde a 10% do rebanho nacional.


Fonte: Agência Pará de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário