segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

DEFESA CIVIL EXPLICA PREVISÃO DE CHUVAS INTENSAS, GRANIZO E VENDAVAL PARA O ESTADO


O ALERTA CHEGOU POR MENSAGEM DE TEXTO PARA AS PESSOAS QUE SÃO CADASTRADAS NO SISTEMA QUE ENVIA TAIS PREVISÕES
Tempo fechado na avenida Júlio César
(Elivaldo Pamplona / O Liberal)
A Defesa Civil do Pará emitiu, nesta segunda-feira, 18, um alerta de "chuvas intensas, granizo e vendaval" para todo o Estado. O alerta chegou por mensagem de texto para as pessoas que são cadastradas no sistema que envia tais previsões. Procurado pela Redação Integrada, o órgão explicou que trata-se, na verdade, "de uma probabilidade ou previsão" feitas com base nas previsões do clima para a região.
"Foi emitida uma probabilidade, ou seja, uma possível formação de granizo, chuvas intensas e vendaval, mas não é 100% de certeza que vá acontecer. Em virtude da chuva, do clima fechado, há uma formação de granizo, mas não é confirmado que ocorrerá. É apenas uma previsão" destacou o cabo BM Barreto, do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Pará (CBMPA).
De acordo com o soldado BM Adriano, da Defesa Civil Estadual e responsável pelo envio das mensagens de alerta, tais previsões são repassadas pelo Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec). Em caso de ocorrências, a Defesa Civil solicita que a população acione o Corpo de Bombeiros pelo número 193.
Coordenador do 2º Distrito do Instituto Nacional de Meteorologia (2º Disme / Inmet), José Raimundo Abreu afirmou que, apesar de haver nuvens propícias para a ocorrência de granizo nas regiões litorânea (com destaque para Salinas, Marudá, Bragança, Curuçá, Vigia e Soure), Baixo e médio Tocantins (principalmente em Cametá, Tucuruí, Abaetetuba e Acará) e Oeste do Pará (Santarém e arredores), ele não acredita que tais fenômenos irão ocorrer, "mas sim tempestades severas". Ele descartou, ainda, a possibilidade de fenômenos como tornados ou tromba d'águas.

"O granizo é originado de dentro de nuvens com cumulonimbus, que são nuvens profundas, com grande desenvolvimento vertical. No topo dessas nuvens, a temperatura é de -50ºC. A corrente de ar descendente pode gerar alguma pedra de granizo porque as temperaturas vão estar quatro a cinco graus mais baixos" explica, ao ressaltar que "em Belém, com certeza não ocorrerá, mas como na região litorânea, baixo e médio Tocantins e Oeste do Pará estão com muita chuva, não se descarta a possibilidade".

Fonte: Portal ORM

Nenhum comentário:

Postar um comentário