quarta-feira, 3 de outubro de 2018

TRABALHADORES SÃO RESGATADOS EM CONDIÇÕES ANÁLOGAS À ESCRAVIDÃO

O empregador acusado não teve a prisão efetuada por conta da legislação eleitoral
Seis trabalhadores foram resgatados na madrugada desta quarta-feira (03), em Tailândia, pela força tarefa composta pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), Ministério Público do trabalho (MPT), Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e Exército Brasileiro (EB). Os resgatados, todos oriundos do Nordeste, trabalhavam em condições análogas à escravidão, vendendo panelas pelas ruas da região sem nenhuma garantia trabalhista, sem condições adequadas de trabalho, sem banheiro ou alojamento (dormiam em redes armadas sob árvores) e com dívidas com o empregador geradas desde o início da viagem de sua origem para o estado do Pará.
Os trabalhadores relataram que só recebia alimentação aquele que batia as metas de venda e o transporte da fazenda para a cidade era feito no compartimento de carga de um caminhão baú. Todos possuíam dívidas de até R$ 2.000 com o empregador.
No último domingo um dos trabalhadores conseguiu ir até um telefone público, ligar para a PRF e pedir ajuda. A PRF informou que a partir de então levantou informações que possibilitariam a localização dos trabalhadores e uma operação policial de resgate foi desencadeada. Após o resgaste, nesta madrugada, os trabalhadores resgatados foram alojados em um hotel da cidade e a partir de quinta-feira (04) receberão apoio logístico para retornarem às suas cidades de origem. 
O empregador acusado, cujo nome não foi divulgado, responderá na justiça pelos crimes previstos no Art. 149 do Código Penal Brasileiro, e deverá pagar todos os direitos trabalhistas, bem como assinar a CTPS de todos os trabalhadores. A prisão não foi efetuada por conta da legislação eleitoral.

Fonte: Portal ORM

Nenhum comentário:

Postar um comentário