quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

BAGAGENS DESPACHADAS SERÃO COBRADAS A PARTIR DE MARÇO

Gilson Rodrigues, de 61 anos, costuma viajar para vários lugares do Brasil. O advogado e engenheiro veio de recife para Altamira na manhã desta quarta-feira (14). Ele não pagou nada pelo transporte das bagagens. Mas essa isenção está com os dias contados, pois a agência nacional de aviação civil aprovou, nesta terça-feira (13), um pacote de regras que vai possibilitar a cobrança por qualquer tipo de bagagem despachada.
A expectativa da ANAC é que, com a regulamentação, haja uma queda nas tarifas praticadas pelas companhias aéreas. Atualmente, o limite sem cobrança de bagagem é de 23 kg em voos nacionais, ou duas malas de 32 kg para voos internacionais.
Outro efeito das mudanças aprovadas é a possibilidade de cancelamento sem custos de uma passagem, caso a desistência do viajante ocorra até 24 horas após a compra e sete dias antes do voo.
Com as novas regras da aviação haverá várias mudanças, como por exemplo: A bagagem de mão que hoje deve ter peso de até 5kg passará a ser de pelo menos 10 kg. O passageiro poderá cancelar a passagem sem custo, sem informar à empresa, até 24h após a compra e desde que com sete dias antes do voo. Hoje uma multa é cobrada nessas situações. O cancelamento automático do retorno caso o passageiro perca o voo de ida, agora será proibido. Sobre as multas, atualmente as empresas aéreas podem cobrar mais de uma multa, chegando a mais de 100% da passagem. Agora as multas não podem mais ultrapassar o valor pago pelo passageiro e é garantida a restituição da tarifa de embarque.
Despachar bagagens
Bagagem de mão
Como é hoje: até 5 kg

Mudanças: pelo menos 10 kg
Direito de desistência
Como é hoje: é multado
Mudanças: pode cancelar sem custo, sem informar à empresa até 24h após a compra e desde que com 7 dias antes do voo

Cancelamento de retorno
Como é hoje: cancelamento automático

Mudanças: será proibido o cancelamento automático do retorno caso o passageiro perca o voo de ida

Multas
Como é hoje: pode cobrar mais de uma multa, mais de 100% da passagem

Mudanças: multas não podem ultrapassar o valor pago pelo passageiro e é garantida a restituição da tarifa de embarque
As medidas passarão a valer a partir do dia 14 de março de 2017. Com a nova atualização das regras as companhias aéreas acreditam que a estrutura tarifária será mais atrativa ao mercado internacional, especialmente às empresas de baixo custo.
Por: Athainara Farias

Nenhum comentário:

Postar um comentário