segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

PRODUTOR DEVE COMPROVAR VACINAÇÃO DE REBANHO JUNTO À ADEPARÁ

PRAZO PARA NOTIFICAÇÃO EXPIRA NO DIA 15 DESTE MÊS DE DEZEMBRO.

Com a proximidade do encerramento do período de notificação da vacina contra a febre aftosa no Estado, que finaliza no próximo dia 15, a Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) reforça a importância de todos os produtores rurais comprovarem a imunização do rebanho junto ao órgão. “A vacinação do rebanho é muito importante, mas fundamental também é comprovar a imunização junto à Adepará. É somente com a vacinação e a comprovação que podemos manter os mercados compradores da nossa carne e ainda barganhar novos espaços para comercialização dos nossos produtores”, ressalta o diretor geral da Adepará, Luciano Guedes.
A vacinação contra a febre aftosa ocorreu de 1º a 30 de novembro e teve como meta a imunização de quase 21 milhões de cabeças de gado em 108 mil propriedades, espalhadas por 127 municípios paraenses, com exceção do Arquipélago do Marajó e dos municípios de Faro e Terra Santa, na região oeste. A agência é a responsável pela campanha, que tem importância estratégica para a balança comercial do Estado. Servidores do órgão em todo o Pará acompanham o trabalho para garantir que o processo atenda à meta da Adepará, que é alcançar o mais alto índice vacinal.
Segundo a gerente regional da Adepará de Oriximiná, Cinthya Ednamay, que atende os municípios de Juruti, Terra Santa e Óbidos, a vacinação transcorreu de forma tranquila, dentro do que foi planejado. “Acompanhamos a compra de vacina nas revendas agropecuárias da região e atestamos a qualidade delas. A vacinação nas propriedades também teve o acompanhamento dos nossos servidores. Agora é contar com a parceria de sempre dos produtores rurais para que compareçam à Adepará para comprovar a vacinação. Estamos de portas abertas”, afirma.

Conquista 

Para Luciano Guedes, a campanha é importante para o Estado por manter a condição sanitária conquistada – livre de febre aftosa com vacinação. “Manter o Pará livre da febre aftosa foi uma das maiores conquistas do setor produtivo. Garantir a permanência deste status é importante para o produtor rural, que garante a sanidade e a valorização do seu rebanho”, enfatiza o diretor geral da Adepará.

Segundo ele, é preciso apoiar e fortalecer o agronegócio, o setor da economia que mais gera emprego e renda no Estado, e isso só é possível com o envolvimento do produtor rural. “A Adepará trabalha para certificar os alimentos e, assim, garantir novos mercados, fortalecendo a cadeia produtiva em parceria com o produtor”, reitera Luciano Guedes.
“A agência é uma grande parceira dos produtores, que agora devem fazer o seu dever de casa, levando a nota fiscal para comprovar a vacinação contra a aftosa. Assim, a Adepará tem o controle de quem fez a vacina, combatendo a doença. Os produtores têm notificado e o sindicato tem dado apoio, inclusive convocando pelos meios de comunicação da região”, diz o presidente do Sindicato Rural de Monte Alegre, Waldemar Hutim. Segundo ele, o município de Monte Alegre tem hoje cerca de 230 mil cabeças de gado.

Fonte: ORM NEWS

Nenhum comentário:

Postar um comentário