segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

EM BRASIL NOVO, APÓS DESBLOQUEIO DE FPM SERVIDORES RECEBEM PAGAMENTO.

Após meses sem receberam seus salários devido ao bloqueio do Funde de participação dos Municípios - FPM, os servidores públicos da Prefeitura de Brasil Novo no Sudoeste do Pará, em fim podem comemorar o natal com mais tranquilidade. É que depois de conseguir desbloquear o FPM do município, bloqueado desde julho, o governo conseguiu honrar os salários atrasado e já pagou décimo terceiro.

Em contato com a Prefeita Marina Sperotto ela informou que já pagou os salários em atrasos desde setembro e que na sexta-feira (09) já disponibilizou o décimo terceiro salário dos servidores públicos e que fará todo o esforço para que o salário de dezembro seja efetuado o mais breve possível – “É importante que a população saiba que sempre estivemos dispostos e nos esforçando para que pudéssemos manter os salários em dias, mas devido ao bloqueio do FPM, tivemos esses problemas, mas graças a Deus conseguimos o desbloqueio e efetuamos o pagamento de todos os salários vencidos incluindo o décimo terceiro que foi disponibilizado hoje”. – informou a gestora dizendo que o objetivo agora é horar as dívidas com os servidores e os fornecedores da prefeitura.

O Bloqueio do FPM se deu devido a dívida que o município acumulada desde os primeiros mandatos eletivos que está em um valor de R$ 7.348. 547, 08 (Sete milhões, trezentos e quarenta e oito mil, quinhentos e quarenta e sete reais e oito centavos) relativos às contribuições patronais, que é o valor devido pelo empregador e R$ 2.254.865,69 (dois milhões, duzentos e cinquenta e quatro mil, oitocentos e sessenta e cinco reais e sessenta e nove centavos) relativos à contribuições do segurado e A dívida acumulada do Município desde os primeiros mandatos eletivos é de R$ 7.348. 547, 08 (Sete milhões, trezentos e quarenta e oito mil, quinhentos e quarenta e sete reais e oito centavos) relativos às contribuições patronais, que é o valor devido pelo empregador e R$ 2.254.865,69 (dois milhões, duzentos e cinquenta e quatro mil, oitocentos e sessenta e cinco reais e sessenta e nove centavos) relativos à contribuições do segurado. Esse atraso é responsável pelo bloquei do Fundo de Participação dos Municípios – FPM e a negociação são uma forma de desbloquear os recursos do FPM, já que o município não dispõe de recursos suficientes para quitar a dívida e a saída foi uma negociação para parcelamento junto ao INSS.

Dos 14 municípios paraenses que se encontravam com suas contas bloqueadas nos últimos meses, apenas Parauapebas, Porto de Moz e Uruará.


Por: Valdemídio Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário