terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Índios exigem renovação de contratos de indenização


Índios da Etnia Kayapó estiveram no MPF para reivindicar uma reunião com a Norte Energia para falar sobre o término dos contratos de indenizações.

Aproximadamente 38 índios da etnia Kayapó que vivem na cabeceira do Rio Iriri estiveram no Ministério Publico Federal de Altamira para solicitar apoio. Os indígenas reivindicam uma reunião com representantes da Norte Energia para tratar sobre o fim das indenizações, que eram pagas a eles por conta dos impactos causados pela construção da Usina Hidrelétrica Belo Monte. O contrato que durou três anos já chegou ao fim e as comunidades indígenas querem a renovação por mais 32 anos, para igualar ao tempo em que a usina deve permanecer em funcionamento. 
Aproximadamente quatro milhões e meio de reais foram investidos durante esses três anos em geração de renda para as famílias indígenas da área do Mekrãgnoti. Uma das principais preocupações deles é justamente esse recurso para que possam investir nas atividades que já são realizadas, como artesanato, produção de castanha e outras.
O termo foi criado na mesma época em que a Funai autorizou a construção da Usina Belo Monte, onde estava prevista essa ajuda para a geração de renda sustentável. O Ministério Publico estará mediando essa conversa que deve ser marcada para esta terça-feira. O termo é importante para garantir que as terras sejam protegidas, já que a área é impactada também pela exploração de madeira e o garimpo ilegal.
Por: Paulo Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário