quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

CASO GABRIELLY: O BEBÊ ESTAVA ENROLADO EM DUAS SACOLAS PLÁSTICAS

As polícias Civil e Militar saíram cedo de Vitória do Xingu no sudoeste do Pará, com direção a região do Jacuípe a 20 km da sede do município durante a manhã de quarta-feira dia 24, em busca pelo bebê Enzo, filho de Gabrielly Freitas. Essas novas buscas tinham como base o depoimento de Elielson Vieira de 40 anos, acusado pelo crime de homicídio contra Gabrielly e até então, sequestro do bebê Enzo, na época com 19 dias de nascido, o desaparecimento de mãe e filho foi entre os dias 10 e 12 de janeiro/2018. Para a Polícia Civil ele confessou o crime e deu detalhes de onde estaria o bebê.
Buscas foram feitas em uma determinada área, mas a informação não bateu, em uma nova ligação telefônica feita pelo delegado Lindoval Borges, para o acusado, foi dada outra localização e então a criança foi encontrada morta, dentro de duas sacolas plásticas ao lado de uma mochila que estava com pertences da Gabrielly e do bebê. Para a polícia, Tadeu como também é conhecido, deu detalhes de como tudo aconteceu.
Em depoimento ele disse que pegou a Gabrielly com intensão de fugir com ela e a criança, mas ainda na casa dele do outro lado do rio, a criança começou a chorar muito e ele ficou com medo da família ouvir, eles iniciaram uma discussão e no meio desse bate-boca e empurrões, a criança caiu do colo da mãe de cima da casa [palafita] e morreu, o casal ainda tentou reanimar o bebê mas não conseguiu, a Gabrielly entrou em desespero e começou a gritar e pedir por socorro, para tentar silenciar ela, ele começou a agredir e tampar a boca da jovem, até que ela também morreu” explicou o delegado Lindoval Borges
A polícia militar também acompanhou as buscas, para o Sargento Jadisley Stevam, comandante da PM em Vitória do Xingu, esse é um caso solucionado, e se espera agora todo o rigor da lei para o acusado do crime.
Foram 15 dias de buscas, caçada ao acusado e incursões na região, até que aqui estamos com um resultado que não é o que gostaríamos, agora esperamos que a justiça seja feita e que esse cidadão fique preso por um bom tempo” explicou Sgt Jadisley
Familiares de Gabrielly que também estiveram no local acompanhando as buscas, eles ficaram chocados com o crime e pedem justiça.
Ele deixou o bebê perto de casa, uns 700 metros, mas ele enrolou em duas sacas plásticas pra gente não sentir o cheiro e achar, hoje queremos justiça, é uma dor muito grande” Explicou Kinssegir Freitas, irmão de Gabrielly
Uma equipe do Centro Renato Chaves e do Instituto Médico Legal de Altamira foram acionadas para remover o corpo do bebê para ser periciado, o caso volta a chocar a pacata cidade de vitória do Xingu.
Na prainha dezenas de pessoas aguardavam novas informações e também ficaram comovidas com o caso.
Estamos a 15 dias nessa luta, nessa angustia, que acaba agora, só não está doendo mais por muita gente se juntou a nós, dividimos a dor, e queremos justiça, que esse criminoso fique na cadeia e pague pelo que fez” destacou Gisely Freitas, tia de Gabrielly
CRONOLOGIA DO CRIME
Quarta-feira (10/01) – 1:30h da madrugada, a família de Evanlize Gabrielly Freitas, de 20 anos, sente a falta da jovem e do bebê, mãe e filho saíram de casa sem deixar recado, nem uma carta dizendo para onde iriam.
Quinta-feira (11/01) - Já em desespero e parece que, até sabendo que o pior estava acontecendo, a mãe de Evanlize, dona Gabriela, faz um apelo na Tv, pedindo qualquer informação da filha. O pedido por informações chegou em Altamira. Mas nenhuma notícia foi dada sobre o paradeiro da jovem. Familiares realizavam buscas na região de ilhas. Mas estava difícil encontrar vestígios da garota.
Sexta-feira (12/01) - A polícia militar inicia junto com a polícia civil, a intensificação dessas buscas resultou em alguns nomes que não foram citados pela polícia. Elielson Vieira de 40 anos, o “Tadeu”. já passou a ser acusado pelo desaparecimento, para a família ele disse que não tinha feito nada.
Sábado (13/01) - O pior acontece, familiares encontram o corpo de Gabrielly no quintal da casa de Tadeu, ele desaparece do celular e não foi mais visto por familiares. A família entra em desespero e a cidade fica chocada ao saber que tamanha crueldade aconteceu no município. A dor tomou conta de todos.

Domingo (14/01) - O delegado que preside o caso, Lindoval Borges, pede a prisão preventiva de Elielson Vieira, a justiça altamirense concedeu em caráter de urgência essa prisão. Em entrevista na imprensa, Sônia Pinheiro, esposa de Tadeu confessa que o marido era agressivo, frio e calculista, e se defende, dizendo que não tem nada a ver com a situação.
Segunda-feira (15/01) - Abalada com o crime, a família reuni centenas de pessoas em uma caminhada pedindo paz e justiça, na delegacia desabafos de amigos e movimento de mulheres da Trasamazônica e Xingu.
Terça-feira (16/01) A polícia militar recebe informações de que Tadeu aparece em propriedades rurais. Buscas são realizadas na região do Água Boa, a polícia faz uma varredura após ter informações do paradeiro de Tadeu, ele fugiu novamente para o rio.
Quarta-feira (17/01) - A polícia chega até essa ilha no Jacuípe, moradores viram o acusado em uma propriedade, moradores negaram comida ou café e o acusado fugiu. Na região ao norte da ilha pegadas foram encontradas.
Quinta-feira (18/01) A polícia continua buscas e encontra embarcação usada pelo acusado, a canoa típica na região foi levada para o verdadeiro dono que relatou que teve a embarcação roubada.
Sexta-feira (19/01) - As buscas na região do Jacuípe são encerradas, o acusado já não estava mais no local.
Domingo (21/01) 7:30h da manhã, um morador denuncia à polícia que o acusado estava em sua casa, na área do quintal. O investigador Leonel Bahia fez a abordagem, o acusado tentou fugir, depois partiu pra cima do investigador. Tiros foram disparados e Tadeu não conseguiu mais fugir, as duas pernas foram quebradas com os disparos e o acusado foi encaminhado pra altamira por questão de segurança.
Quarta-feira (24/01) A polícia ouve Tadeu no Hospital Regional de Altamira, ele dá detalhes de como agiu e onde estaria o corpo do bebê Enzo, uma equipe de policiais civis, militares e familiares de Gabrielly partem para a ilha indicada pelo acusado, o bebê foi encontrado enrolado em duas sacolas plásticas ao lado da mochila com os pertences de Gabrielly. O corpo foi levado para perícia, os laudos de Gabrielly e do Bebê devem encerrar o caso, Tadeu deve ser levado a julgamento.
Imagens: Marcos Alves, Daniel Filho, Vitor Daniel, Felype Adms, Wesley Santos e Gerlington Wilian (Com informações da Polícia Civil e Militar).

Apoio: Patrícia Pires e Sirley de Jesus
Por: Felype Adms
Fonte: Xingu230

Nenhum comentário:

Postar um comentário