terça-feira, 7 de agosto de 2018

BREU BRANCO EM ALERTA: PREFEITURA E FECHADA E SERVIDORES SÃO CONDUZIDOS PARA ESCLARECIMENTOS

Desde as primeiras horas desta terça-feira (7), uma equipe formada por 20 agentes da Polícia Civil do Pará estão desenvolvendo uma megaoperação no município de Breu Branco, sudeste paraense.
A sede administrativa da Prefeitura da cidade foi fechada, e diversos servidores ligados aos processos licitatórios foram conduzidos a Superintendência de Polícia Civil do Lago, em Tucuruí, para prestar esclarecimentos referente as empresas que foram diretamente beneficiadas com licitações realizadas pela prefeitura e que beneficiaram, diretamente diversas empresas da cidade e região, ocasionando um rombo milionário nos cofres públicos.
Segundo a Polícia Civil ainda na tarde desta terça-feira, será concedida uma entrevista coletiva para prestar todas as informações à imprensa. Mais foram cumpridos 3 mandados de prisão e 6 de condução coercitiva em Breu Branco, Belém e Tucuruí. Onde os empresários que faziam parte do “esquema” apenas apresentavam as empresas de “aluguel” que existiam apenas em uma “pasta”, para poderem dar legalidade as licitações, mais nunca realizavam os serviços contratados, apenas para o desvio dos recursos públicos.
O prefeito de Breu Branco Francisco Garcez da Costa e sua assessoria foram acionados, mas não quiseram prestar nenhum esclarecimento preliminar.
Desde o assassinato do prefeito de Breu Branco Diego Kolling, fato ocorrido no início da manhã do dia 16 de maio de 2017, enquanto o prefeito pedalava uma bicicleta na companhia de amigos em um trecho da rodovia PA-263, que liga Tucuruí a Goianésia do Pará. A inteligência da Polícia Civil vinha realizando intensas investigações referentes aos beneficiamentos ocorridos com licitações dentro da gestão da Prefeitura de Breu Branco. Passado 15 meses do assassinato de Kolling, as investigações despontam para um “esquema” milionário de desvio de verbas através de fraudes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário