sexta-feira, 17 de maio de 2019

FAMÍLIAS TENTAM RECOMEÇAR APÓS TEREM AS CASAS ALAGADAS


Móveis e eletrodomésticos na rua, na frente das casas. Para muitos moradores da rua Salustiano de Almeida, no Bairro Independente I, essa sexta-feira (17) foi dia de recomeçar. Após terem suas casas invadidas pela água, as famílias contabilizam os prejuízos e retiram a lama que ficou nos imóveis.
Assim como outras residências, a casa da Simone Queiroz continua alagada. Ela usa uma bomba para tentar retirar água e lamenta pelos móveis e documentos perdidos. De acordo com os moradores, representantes da empresa Norte Energia estiveram no local, ainda no final da tarde de ontem. Segundo a moradora eles comunicaram que iriam retirar as famílias atingidas.
Área da Lagoa
Recentemente o MPF solicitou que o Ibama adote medidas judiciais e administrativas, contra a Norrte Energia e a prefeitura de Altamira, pelo descumprimento do cronograma de ações para retirada das famílias.
Segundo o MPF, a Norte Energia firmou acordo com o Ibama em outubro de 2018, onde se comprometia a finalizar as ações para retirada das famílias até o fim de abril de 2019, o que não foi feito. Na área ainda há famílias esperando para serem retiradas.
O jardim Independente I se formou em torno da lagoa que enchia na época de chuva. Mas a instalação de Belo Monte provocou aumento de preços no mercado imobiliário do município e de aproximadamente 40 famílias, a área passou a ser moradia para quase 500 famílias.

Em nota a Norte Energia informou que das 496 famílias que moravam em palafitas, cerca de 72% já foram atendidas. No caso dos demais moradores, a empresa disse que avalia alternativas de atendimento a serem submetidas à prefeitura de Altamira e ao Ibama. A luta é antiga, mas somente em março de 2018, os moradores foram reconhecidos pelo ibama como atingidos por barragens.
A prefeitura informou que é de responsabilidade da própria concessionária de belo monte a remoção e a reurbanização da área. E que a secretaria de integração social cobrou da empresa celeridade nas remoções em abril deste ano.




Nenhum comentário:

Postar um comentário