sábado, 22 de julho de 2017

PRODUTORES RURAIS TERÃO R$ 2,3 BILHÕES DISPONÍVEIS NO PLANO SAFRA 2017/2018

A versão 2017/2018 traz algumas mudanças que ampliam
benefícios aos produtores rurais da Amazônia.
(Foto: Reprodução)
O Banco da Amazônia disponibilizará R$ 2,3 bilhões para produtores rurais da Amazônia. Os recursos do Plano Safra 2017/2018 poderão ser acessados no período de 1º de julho deste ano a 30 de junho de 2018.
A versão 2017/2018 traz algumas mudanças que ampliam benefícios não estavam presentes nos planos anteriores.
O acesso aos recursos pode ser realizado diretamente pelo produtor junto à rede de agências do Banco da Amazônia, dispensando a necessidade da apresentação de projeto de viabilidade econômica em diversas situações.
Segundo o gerente de Agronegócios e Pessoas Físicas, Misael Moreno, o plano beneficia produtores rurais com a redução dos encargos financeiros que para os que não são enquadrados ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF), com taxas praticadas a partir de 5,65% ao ano para operações de investimento.
Para o custeio agrícola e pecuários, os encargos financeiros iniciam a partir de 6,65% ao ano.
É uma redução significativa quando comparamos os atuais encargos com os que foram praticados no plano safra anterior. Em algumas linhas de financiamento, a redução alcançou -13,07%, contribuindo ainda mais para o sucesso dos empreendimentos que recebem esses aportes”, ressaltou.
Os recursos também contemplam a implantação de sistemas de irrigação, construção de estruturas de armazenagem (silos e armazéns), construção de estruturas de confinamento e etc. Todos com prazos de amortização e de carência compatíveis com as atividades desenvolvidas.
R$ 350 milhões para contratos do Plano Safra 2017/2018 para a agricultura familiar
O acesso aos grupos e linhas do PRONAF é destinado aos agricultores e agricultoras familiares, assentados da reforma agrária, extrativistas, silvicultores (agricultores que cultivam florestas), pescadores artesanais, aquicultores (criadores de peixes, camarões, etc.), jovens, mulheres, comunidades quilombolas e povos indígenas que possuem enquadramento no Programa.

Para enquadrar o agricultor familiar como beneficiário do PRONAF, ele deve ter até quatro módulos fiscais de terra conforme definição do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), 50% da renda deve ser oriunda da atividade agropecuária, desenvolvida no próprio empreendimento rural, renda bruta de até R$ 360 mil por ano, o agricultor pode ter um número de empregados correspondente à mesma quantidade de pessoas que há na família.
É uma mudança importante porque antes esse número de empregados deveria ser inferior ao número de pessoas na família, quando havia casos de agricultores que moravam sozinhos, eles ficavam impedidos de possuírem empregados”, avalia a gerente de Microfinanças e Agricultura Familiar, Cristina Lopes.
Nas últimas cinco safras (2015/2016 a 2017/2018), o Banco da Amazônia aplicou R$ 3,15 bilhões na Amazônia. Somente no Plano Safra 2016/2017, foram contratados R$ 348 milhões em recursos até o mês de junho passado, em 11.905 contratos. Do total dessa safra, R$ 194,4 milhões foram investidos no Pará, em 5.860 contratos.
Ismael Uchoa, morador da comunidade Santa Rosa, no município de Santa Izabel do Pará, Região Metropolitana de Belém, está entre os beneficiados com o Pronaf-Microcrédito Produtivo Orientado, através do Amazônia Florescer-Rural.
Comprei bomba, mandei construir uma cisterna, preparei a terra para cultivar banana, porque antes minha produção era restrita a hortaliças como alface, jambu, chicória, couve, carirú, cheiro verde e cebolinha”, comemorou o produtor.

Fonte: DOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário